Força Aérea não informou FBI sobre histórico de atirador do Texas | Notícias internacionais e análises | DW | 07.11.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Força Aérea não informou FBI sobre histórico de atirador do Texas

Segundo regras do Pentágono, informações sobre condenação por violência doméstica deveriam ter sido repassadas, o que poderia ter impedido autor do massacre em igreja texana de comprar armas.

Agentes do FBI investigam local do massacre em Sutherland Springs, no Texas

Agentes do FBI investigam local do massacre em Sutherland Springs, no Texas

A Força Aérea americana admitiu nesta segunda-feira (06/11) não ter informado o FBI sobre o histórico de violência de Devin Patrick Kelley, o atirador que matou 26 pessoas numa igreja do Texas.

As regras do Pentágono estabelecem que informações sobre militares condenados por crimes como agressão devem ser enviadas ao FBI e incluídas no banco de dados do registro criminal nacional, o que possivelmente impediria Kelley de adquirir armamentos como o fuzil AR-15 utilizado no massacre na igreja batista de Sutherland Springs.

Kelley foi condenado num tribunal da Força Aérea no Novo México em 2012 por agressões à esposa e ao filho, que sofreu uma fratura no crânio. Ele cumpriu 12 meses numa prisão militar antes de ser dispensado por má conduta em 2014.

A Força Aérea americana reconheceu o erro e informou que abriu um inquérito para investigar o caso. "Vamos avaliar também o banco de dados da Força Aérea para garantir que outros casos sejam reportados corretamente. A Força Aérea pediu também ao inspetor geral do Departamento de Defesa que analise os registros e procedimentos em todo o Departamento de Defesa", disse uma porta-voz da corporação.

Além da condenação pela Corte Marcial da Força Aérea, Kelley também teve outros episódios registrados. Em 2014, pouco antes de ser dispensado, a polícia local respondeu a um chamado de violência doméstica envolvendo sua namorada, que se tornaria sua segunda esposa.

No mesmo ano, ele respondeu a uma acusação de maus-tratos contra animais após um vizinho denunciá-lo por agredir um cão. Ele negou a acusação, mas aceitou pagar 370 dólares em reparações.

O massacre na igreja texana aparenta ter sido motivado por uma situação doméstica. Investigadores revelaram que Kelley havia enviado mensagens ameaçadoras à sogra. Ela é membro da Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs, mas não estava no local durante o ataque.

Com base nas evidências, os investigadores acreditam que Kelley, de 26 anos, se suicidou após ser perseguido por civis armados. Ele chegou a telefonar para o pai dizendo que estava ferido e que achava que não iria sobreviver.

Após o massacre, três armas foram apreendidas: um fuzil AR-556 foi encontrado na igreja, e duas pistolas estavam no carro de Kelley.

RC/lusa/ap

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais