Filhos de Kadafi dão declarações contraditórias sobre o conflito na Líbia | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 01.09.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Filhos de Kadafi dão declarações contraditórias sobre o conflito na Líbia

Enquanto Saadi Kadafi diz estar negociando o fim do conflito com os rebeldes, Saif al Islam convoca a luta e promete vitória. Jornal diz que ditador deposto estaria tentando fugir para a Argélia.

default

Saif al Islam durante curta aparição há alguns dias

Enquanto vários países se reúnem nesta quinta-feira (01/09) em Paris para discutir um plano de reconstrução para a Líbia, os filhos do ditador deposto Muammar Kadafi dão sinais contraditórios sobre o conflito no país.

Saadi Kadafi disse estar negociando com os rebeldes para encerrar o "banho de sangue". Seu irmão Saif al Islam, por sua vez, convocou os seguidores do regime a lutar e prometeu vitória. Os dois afirmaram estar falando com a autorização do pai.

"Ataquem os inimigos onde quer que eles estejam", disse Saif al Islam na noite desta quarta-feira (31/08) numa mensagem emitida pela TV síria Al Rai. "A vitória está próxima", prometeu o segundo filho mais velho de Kadafi, chamando os opositores do regime de "traidores e ratos". Segundo Saif, supostamente falando a partir de um subúrbio de Trípoli, seu pai está bem. "Estamos bebendo chá e café", disse.

Saadi também declarou a um canal de TV, a Al Arabiya, de acordo com a emissora árabe Al Jazeera, estar agindo em nome do pai. Ele disse estar autorizado a discutir com o Conselho Nacional de Transição (CNT) sobre o fim do conflito no país.

O vice-presidente do conselho militar dos rebeldes, Mehdi Harati, disse que Saadi estaria relutante quanto à capitulação, mas a levaria adiante caso os insurgentes garantissem a sua segurança.

Libyen Al-Saadi Gaddafi

Saadi diz negociar o fim do banho de sangue

Quanto a Saif al Islam, o vice-presidente do Conselho Nacional de Transição, Abdel Hafis Ghoga, considera que o filho do ditador estaria fora da realidade. "Os Kadafis estão acostumados a supor que têm dezenas de milhares de seguidores, mas, no final, eles não passam de uma dezena", disse.

Logo após a tomada de Trípoli pelos rebeldes, correu a informação de que Saadi havia sido capturado. Neste meio tempo, porém, a informação mostrou-se falsa. O homem de negócios e ex-jogador de futebol continua em liberdade, assim como o restante da família do ditador.

Ditador desaparecido

Sobre o paradeiro do próprio Kadafi não há nenhuma pista, mais de uma semana depois da tomada de sua residência pelos rebeldes. A mídia afirma que o ditador de 69 anos estaria escondido em Sirte ou em Bani Walid, no sudeste de Trípoli. O jornal de língua francesa El Watan informou em sua página na internet que Kadafi estaria na cidade fronteiriça de Ghadames, de onde estaria negociando sua fuga para a Argélia.

Libyen Tripolis Gaddafi

Paradeiro do ditador Kadafi permanece um mistério

Segundo o El Watan, Kadafi teria tentado contatar o presidente argelino, Abdelaziz Bouteflika, por telefone, o qual teria se negado a atender. A esposa de Kadafi, Safia, assim como seus três filhos – Aisha, Hannibal e Mohamed – já conseguiram atravessar a fronteira para a Argélia. O governo local declarou ter aceitado os familiares do ditador por razões "meramente humanitárias".

O governo de transição deu um ultimato para que as tropas do antigo regime deponham as armas até sábado. Caso contrário, a cidade natal de Kadafi, Sirte, seria atacada. Os cerca de 75 mil habitantes da cidade costeira estariam divididos, segundo a Al Jazeera. Metade seria a favor da resistência, enquanto a outra metade defenderia a capitulação. Segundo Saif, 20 mil homens armados estariam a postos para combater os invasores em Sirte.

LPF/rtr/dpa/afpd/wdhlg
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais