1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Canstatter Fest, em StuttgartFoto: in.Stuttgart

Festas populares

Juliana Vaz
14 de setembro de 2007

As festas populares têm séculos de tradição na Alemanha. Suas origens remontam à Idade Média. As Kirmes e feiras anuais hoje são celebradas com outros sentidos, mas com o mesmo entusiasmo e popularidade de antigamente.

https://www.dw.com/pt-br/festas-populares-da-idade-m%C3%A9dia-ao-s%C3%A9culo-21/a-2783159

O cheiro de amêndoas torrando, o algodão doce, as tendas com cerveja e salsichas, os doces de marzipã pendurados nas barracas enfeitadas com neon e os galpões com música ao vivo revelam: em algum lugar da Alemanha, é dia de kirmes.

BdT Cannstatter Volksfest - Farbenprächtige Kostüme bei Festzug
As apresentações musicais não podem faltarFoto: dpa - Bildfunk

As kirmes (quermesses), espécie de festas populares alemãs, têm longa tradição no país. Assim como os jahrmärkte, geralmente acontecem uma vez ao ano, e, à primeira vista, assemelham-se a um grande parque de diversões itinerante, com barracas de sorteios, jogos com prêmios, brinquedos, comidas e, claro, grande variedade de cerveja.

Com mais de 12 mil festas populares em todo o país, a Alemanha abriga o maior número destes eventos no mundo. Da primavera até o fim do outono, muitos vilarejos e cidades preparam-se para abrigar sua kirmes ou jahrmarkt. A festa mais antiga, em Paderborn, data do ano 836 e a feira anual de Bremen, uma das maiores da Alemanha, teve início em 1035.

Da Idade Média ao século 21

A palavra kirmes tem origem no termo kirchweih, uma festa religiosa na Idade Média que comemorava a inauguração de uma nova igreja. Hoje, o aspecto espiritual tem menor importância nas quermesses de norte a sul da Alemanha, apesar de cada uma delas ainda estar ligada a um evento religioso.

Na Idade Média, muitas cidades receberam o direito de abrigar um mercado, onde geralmente acontecia também uma festa religiosa. As kirmes reuniam muitos fiéis, atraindo também comerciantes de outras áreas que montavam por um dia suas barracas e ofereciam suas mercadorias à freguesia.

Bremer Freimarkt
Doces típicos compõem a paisagem das festas popularesFoto: BTZ

Muitas vezes viajavam também dançarinos, malabaristas, músicos e trovadores, que transformavam os mercados em arenas de diversão. Nas festas populares atuais, predomina este aspecto de lazer e, para muitos jovens, é ainda uma forma de socialização.

Os imigrantes alemães levaram também esta tradição ao Brasil. O termo kerb, ouvido até hoje no Sul do país (também chamado de kerchweifest), designa muitas festas de igreja nas regiões de colonização alemã.

Diversão e cerveja de norte a sul

Na Alemanha, as festas populares conseguiram sobreviver a séculos de mudanças sociais e comportamentais. Com o passar dos anos, as atrações incorporam cada vez mais o aparato tecnológico e concorrem com modernos parques de diversões já institucionalizados.

Achterbahn Pützchensmarkt in Bonn
Pützchensmarkt, em BonnFoto: DW/Juliana Vaz

Rodas-gigantes de 55 metros, montanhas-russas equipadas com loopings radicais, elevadores panorâmicos que despencam em alta velocidade garantem a adrenalina dos visitantes. Os menos aventureiros podem visitar as inúmeras barracas de cerveja e, no inverno, experimentar o glühwein, típico vinho quente.

Algumas festas populares, como a kirmes de Düsseldorf, recebem mais de 300 mil pessoas por dia, mas é difícil calcular o número exato de visitantes, já que as kirmes e jahrmärkte têm entrada gratuita e os ingressos para as atrações são adquiridos individualmente.

Com a chegada do outono, muitas kirmes e jahmärkte acontecem do Norte ao Sul da Alemanha. Em setembro, a diversão está garantida em Flensburg (Herbstmarkt), Eisleben (Wiesenmarkt) e em Stuttgart. A Cannstatter Volksfest é a segunda maior festa popular da Alemanha, atrás apenas da Oktoberfest de Munique.