Ferroviária holandesa indenizará parentes de vítimas do Holocausto | Notícias internacionais e análises | DW | 28.11.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Ferroviária holandesa indenizará parentes de vítimas do Holocausto

Nazistas pagaram companhia Nederlandse Spoorwegen para transportar mais de 100 mil judeus para morrerem em campos de concentração, incluindo Anne Frank.

Cartão postal da NS de 1934

Cartão postal da NS de 1934

A companhia ferroviária estatal holandesa, Nederlandse Spoorwegen (NS), pagará indenizações a parente de judeus que foram deportados em trens da empresa para campos de concentração e extermínio, durante a ocupação nazista na Segunda Guerra Mundial.

É a primeira vez que a empresa se dispõem a pagar indenizações individuais a parentes de vítimas do Holocausto. Até agora, a NS já havia doado dinheiro para vários projetos de memória por sua participação no extermínio de judeus. O anúncio da decisão foi feito durante o noticiário noturno da emissora pública de televisão nesta terça-feira (27/11).

"Decidimos fundar uma comissão, que irá determinar como podemos organizar a ajuda financeira para os afetados", disse o presidente da NS, Roger van Boxtel.

A empresa não divulgou quantas pessoas receberão as indenizações e nem o total valor que será destinado para esse fim.

Campo de trânsito Westerbork

Campo de trânsito Westerbork é atualmente um museu

Depois da ocupação da Holanda por tropas nazistas, em maio de 1940, a NS recebeu ordens para deportar judeus para o campo de trânsito de Westerbork, de onde eles eram enviados para campos de concentração e extermínio na Alemanha, República Tcheca e Polônia. Cerca de 107 mil judeus, incluindo Anne Frank, foram transportados pela companhia para Westerbork.

Na época, os nazistas pagaram à empresa ferroviária pelo transporte dos judeus. "A NS seguiu a ordem alemã para disponibilizar os trens. Os alemães pagavam por esse serviço, e a companhia deveria garantir que os trens circulassem no horário", afirmou Dirk Mulder, do Centro de Memória de Westerbork à emissora NOS.

Estima-se que a NS lucrou cerca de 2,5 milhões de euros (10,9 milhões de reais) com o transporte solicitado pelos nazistas, segundo a emissora de televisão.

Em 2005, a NS pediu desculpas oficialmente pelo seu papel na deportação de judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Somente cerca de 30 mil dos 140 mil judeus que moravam na Holanda no início da guerra sobreviveram ao Holocausto.

A decisão da empresa de compensar financeiramente os descentes de deportados é resultado de uma batalha entre a NS e Salo Muller, um ex-fisioterapeuta do time de futebol Ajax.

Os pais de Muller foram deportados para Westerbork e, posteriormente, para Auschwitz, onde foram assassinados. Ele argumentava que a companhia ferroviária lucrou com o transporte de judeus e, desde 2017, lutava por uma indenização.

"Para mim, essa decisão significa que a NS percebeu que o sofrimento de muitos judeus não terminou. Por isso, estou feliz que a NS reconheça que pagará por razões morais", afirmou Muller.

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados