Fechada base aérea turca de onde partem ofensivas contra EI | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 16.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Fechada base aérea turca de onde partem ofensivas contra EI

Corte de energia impede atividades em Incirlik. Especula-se sobre ocupação por golpistas. Base que abriga 80 ogivas nucleares é usada por americanos e sauditas, além de 400 soldados alemães na luta da Otan contra o EI.

Aeronaves aéreas alemãs na base Incirlik, na Turquia

Aeronaves aéreas alemãs na base Incirlik, na Turquia

Fontes do Departamento de Defesa dos Estados Unidos informaram neste sábado (16/07) que a Turquia suspendeu as atividades na base aérea de Incirlik. Além disso o país fechou seu espaço aéreo para veículos militares.

O consulado americano na cidade de Adana, a dez quilômetros da base, confirma que "as autoridades locais estão impedindo a circulação para e a partir de Incirlik" e que o abastecimento de energia foi cortado.

Da instalação que abriga cerca de 80 ogivas nucleares partem ofensivas da coalizão internacional contra a milícia jihadista "Estado Islâmico" (EI) na Síria. A medida ocorre um dia após o fracassado golpe de Estado contra o governo de Recep Tayyip Erdogan, realizado por uma facção das Forças Armadas nacionais.

Ainda não está claro se a base aérea foi sequestrada pelos golpistas durante os eventos da noite anterior. Autoridades governamentais afirmam que jatos teriam sido usados para atacar prédios-chave, inclusive o Parlamento em Ancara.

Além da Turquia, Incirlik é usada principalmente por forças dos Estados Unidos e da Arábia Saudita. A Alemanha também mobilizou para lá cerca de 400 soldados, como parte das operações da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) contra o EI. No início de julho, parlamentares alemães foram impedidos de visitar o local, no contexto do conflito em curso entre Ancara e Berlim.

AV/afp,dpa

Leia mais