FAO denuncia contaminação da água pela agricultura | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 28.08.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Meio ambiente

FAO denuncia contaminação da água pela agricultura

Relatório afirma que uso inadequado de pesticidas e produção de alimentos com grande impacto ambiental contribuem para a degradação da qualidade da água em todo o mundo.

Produção agrícola aumentou mediante o uso intensivo de adubos químicos e pesticidas

Produção agrícola aumentou mediante o uso intensivo de adubos químicos e pesticidas

Além de ser responsável por 70% da extração de água no mundo, a agricultura desempenha um papel fundamental na poluição deste recurso vital. O uso inadequado de defensivos agrícolas ameaça a qualidade da água no mundo inteiro, afirma um relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

De acordo com o relatório, produzido em parceria com o Instituto Internacional para a Gestão da Água (IWMI), o aumento da demanda por alimentos que causam grandes impactos ambientais durante sua produção, como a carne, contribuiu para a degradação da qualidade da água.

O aumento da produção agrícola foi alcançado, nas últimas décadas, mediante o uso intensivo de adubos químicos e pesticidas, um mercado que movimenta mais de 35 bilhões de dólares por ano em todo o mundo. O consumo de defensivos cresceu com rapidez em países como Argentina, Brasil, Malásia, África do Sul e Paquistão, segundo o relatório.

"Na maioria dos países em desenvolvimento e emergentes, a poluição agrícola superou a contaminação causada pela indústria e aglomerados urbanos como principal fator para a degradação da água”, afirmou o diretor da FAO, Eduardo Mansur.

Essa contaminação ocorre com o despejo de produtos químicos, matéria orgânica, sedimentos, nitratos, patógenos e outras substâncias, afirma o relatório divulgado neste domingo (27/08).

De acordo com o especialista do IWMI Javier Mateo-Sagata, em países emergentes foi detectado o uso elevado de pesticidas que são proibidos em países desenvolvidos, além do armazenamento incorreto de frascos de defensivos agrícolas.

Criação de animais

Mateo-Sagata afirmou que, no caso do gado, o principal problema deriva da incorreta gestão dos excrementos dos animais, que contêm patógenos e matéria orgânica que, se acabar nos rios, diminui o oxigênio da água. A criação de gado passou dos 7,3 bilhões de unidades em 1970 para 24,2 bilhões em 2011 e atualmente ocupa 70% do território do planeta usado pela agricultura, afirma a FAO.

Problema semelhante ocorre na aquicultura, quando há excesso de nutrientes e matéria orgânica. Isso  ocorre quando parte de ração não é consumida pelos peixes e acaba contaminando as águas.

O estudo também aborda outras substâncias contaminantes que, nos últimos 20 anos, surgiram na forma de remédios para animais, como antibióticos, vacinas e hormônios de crescimento. Esses medicamentos passam das fazendas aos ecossistemas e às fontes de água potável, além de contribuir para um aumento das bactérias resistentes.

Segundo o relatório, 38% dos corpos de água na União Europeia (UE) correm risco de contaminação agrícola. Nos Estados Unidos a agricultura é a principal causa de poluição em rios e riachos, a segunda em terrenos úmidos e a terceira em lagos. Na China esta atividade está por trás de quase toda contaminação de águas subterrâneas por nitrogênio.

Os especialistas recomendam, entre outras medidas, otimizar e limitar a utilização de agentes químicos nos cultivos para reduzir o risco de contaminação da água, estabelecer zonas de proteção ao redor das explorações agrícolas e sistemas de rega eficientes, que permitam recolher águas residuais.

CN/efe/ots

Leia mais