Facebook remove contas e páginas de rede de apoio a Bolsonaro | Eleições 2018 | DW | 22.10.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Eleições 2018

Facebook remove contas e páginas de rede de apoio a Bolsonaro

Rede social afirma que perfis removidos violavam políticas de autenticidade e de spam e que decisão não tem relação com conteúdo divulgado pelo grupo. Contas falsas eram usadas para publicar artigos caça-cliques.

Páginas removidas eram controladas por um grupo identificado como Raposo Fernandes Associados

Páginas removidas eram controladas por um grupo identificado como Raposo Fernandes Associados

O Facebook removeu nesta segunda-feira (22/10) 68 páginas e 43 contas associadas a um grupo de apoio ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). A rede social afirmou que a remoção ocorreu devido à violação de políticas de autenticidade e spam e que a decisão não tem relação com seu conteúdo.

Quer receber as notícias da DW no Whatsapp? Clique aqui

Siga a DW Brasil também no Instagram

De acordo com o Facebook, as páginas e contas removidas eram controladas por um grupo identificado como Raposo Fernandes Associados (RFA), que usava contas falsas ou vários perfis com o mesmo nome para publicar um grande número de artigos caça-cliques com o objetivo de direcionar os usuários para suas páginas fora da rede social, que possuíam muitos anúncios e pouco conteúdo.

"Embora a atividade de spam esteja comumente associada à oferta fraudulenta de produtos ou serviços, temos visto spammers usando cada vez mais conteúdo sensacionalista político – em todos os espectros ideológicos – para construir uma audiência e direcionar tráfego para seus sites fora do Facebook, ganhando dinheiro cada vez que uma pessoa visita esses sites. E isso é exatamente o que as páginas e as contas que removemos hoje estavam fazendo", afirmou o Facebook, em nota.

Entre as páginas que pertencem ao grupo estão a "Movimento Contra Corrupção”, "Folha Política”, "Correio do Poder”, "Gazeta Social” e "TV Revolta”. Essa rede com milhões de interações publicava conteúdo sensacionalista de apoio a Bolsonaro e contra o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad.

A reta final da campanha eleitoral está sendo marcada por denúncias de divulgação de notícias falsas em massa no Facebook e no WhatsApp. A Polícia Federal (PF) abriu uma inquérito para investigar a possível existência de utilização de um esquema profissional por parte das campanhas políticas com o objetivo de propagar mensagens falsas.

O pedido de abertura da investigação havia sido feito pela procuradora-geral da República e procuradora-geral Eleitoral, Raquel Dodge, na sexta-feira. Ela fez a solicitação após uma reportagem do jornal Folha de São Paulo revelar que empresas teriam desembolsado milhões de reais para comprar serviços de envio de mensagens em massa a usuários da rede social a fim de favorecer o candidato do PSL.

CN/efe/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados