Explosões perto de estádio deixam 38 mortos em Istambul | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 11.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turquia

Explosões perto de estádio deixam 38 mortos em Istambul

Detonações acontecem pouco depois de um jogo de futebol e deixam também 155 feridos. Ministro diz que primeiras avaliações indicam que o PKK está por trás do ataque.

Ao menos 38 pessoas morreram, 30 delas policiais, e 155 ficaram feridas no duplo atentado ocorrido na noite deste sábado (10/12) em Istambul, afirmou o ministro do Interior da Turquia, Süleyman Soylu. Segundo ele, 13 pessoas foram detidas por suspeita de ligação com os ataques.

De acordo com Soylu, a primeira explosão ocorreu ao lado do estádio do clube de futebol Besiktas, com o uso de um carro-bomba, e a segunda foi provocada por um suicida, que detonou seus explosivos num parque próximo do estádio, cerca de um minuto depois. O Besiktas é um dos clubes mais populares da Turquia.

O ministro afirmou, ainda, que as primeiras avaliações indicam que o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) está por trás do ataque. "Temos informações de como o atentado ocorreu e como foi organizado, mas não podemos dizer mais porque as operações estão em andamento", frisou Soylu.

O primeiro-ministro Binali Yildirim ordenou neste domingo que as bandeiras sejam hasteadas a meio mastro. Os serviços funerários para alguns dos oficiais mortos foram realizados ao meio-dia (horário local) na sede da polícia de Istambul. 

"Mártires e feridos"

Horas antes, Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia, havia dito que "infelizmente, há mártires e feridos". Ele considerou que, por terem ocorrido pouco depois do fim do jogo entre o Besiktas e o Bursaspor, as explosões tinham como objetivo atingir o maior número de vítimas possível.

Türkei Explosion in Istanbul

Local de uma das explosões, ocorrida perto do estádio do Besiktas

O presidente da Turquia afirmou ainda que "o nome ou o método da organização terrorista que perpetrou o ataque" não interessa. "Ninguém deve duvidar de que vamos derrotar o terrorismo, os grupos terroristas, os terroristas e, claro, as forças por trás deles, com a ajuda de Deus", afirmou.

Segundo as autoridades turcas, o carro, "cheio de explosivos", foi detonado no local onde estava a polícia, já depois de os torcedores terem deixado o estádio, o que indica que policiais eram o alvo do ataque. O segundo ataque foi executado por um suicida que detonou seus explosivos perto de um grupo de policiais.

AS/lusa/dpa/afp/ap/rtr

Leia mais