Explosão deixa dezenas de mortos no norte da Síria | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 07.01.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Explosão deixa dezenas de mortos no norte da Síria

Caminhão de combustível explode em Azaz, perto da fronteira com a Turquia. Maioria dos mortos são civis. Cidade na província de Aleppo, sob controle da oposição, já foi alvo de repetidos ataques a bomba.

Ao menos 48 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas neste sábado (07/01) após um caminhão de combustível explodir na cidade de Azaz, no norte da província de Aleppo, na Síria, perto da fronteira com a Turquia, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

O veículo explodiu nas imediações de um tribunal islâmico no centro da cidade, sob controle da oposição ao regime do presidente sírio Bashar al-Assad. A maioria dos mortos eram civis, e cerca de 14 eram combatentes rebeldes ou guardas do tribunal, segundo o Observatório Sírio, que monitora a violência no país.

Sem citar fontes, a agência turca de notícias Dogan, de propriedade privada, afirmou que um carro-bomba detonado pelo grupo extremista "Estado Islâmico" (EI) foi responsável pelas mortes. Até o momento, nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque.

A guerra civil, que já dura quase seis anos, transformou a Síria numa espécie de colcha de retalhos, dividida entre territórios controlados pelos rebeldes e pelo regime. Azaz é um bastião do Exército Livre da Síria, apoiado pela Turquia.

O Exército Livre da Síria é uma aliança de grupos rebeldes moderados, cujos combatentes expulsaram, com o apoio de militares turcos, militantes do EI da área de fronteira.

O norte da província de Aleppo e Azaz têm sido repetidamente alvo de ataques a bomba. Em novembro, 25 pessoas, incluindo civis e combatentes da oposição, foram mortos após a explosão de um carro-bomba na cidade. Os rebeldes acusaram o "Estado Islâmico" de estar por trás do atentado. O grupo extremista já tentou avançar sobre Avaz no passado.

LPF/efe/rtr/afp

Leia mais