Ex-presidente da Costa Rica é acusado de abuso sexual | Notícias internacionais e análises | DW | 05.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Ex-presidente da Costa Rica é acusado de abuso sexual

Caso teria ocorrido em 2014 na casa de Óscar Arias e foi denunciado por suposta vítima às autoridades. Prêmio Nobel da Paz nega as acusações.

Óscar Arias

Óscar Arias recebeu Nobel da Paz em 1987

O ex-presidente da Costa Rica e Prêmio Nobel da Paz Óscar Arias foi acusado de abuso sexual por uma médica e ativista pelo desarmamento nuclear. A suposta vítima denunciou o caso, que teria ocorrido em dezembro de 2014, às autoridades.

O caso foi revelado nesta terça-feira (05/02) pelo site Semanario Universidad, que na reportagem inclui partes da denúncia e uma entrevista com a mulher, cuja identidade não foi revelada.

Segundo a reportagem, o abuso teria ocorrido na casa do ex-presidente em San Jose, onde a vítima fora para participar de uma reunião sobre a campanha antinuclear. O relato da mulher afirma que Arias tocou em seus seios, a beijou e introduziu os dedos na sua vagina, apesar de ela ter pedido para ele parar.

"Eu não sabia o que fazer, me sentia presa naquele momento", disse a mulher ao Semanario Universidad. Segundo a denunciante, Arias saiu do escritório em que estavam e pediu para que fossem a outro lugar, foi quando ela aproveitou para ir embora.

"A médica tinha então 30 anos de idade, liderava a filial na Costa Rica de uma ONG internacional dedicada ao ativismo para abolir as armas nucleares e tinha conhecido o prêmio Nobel através de sua mãe, que foi deputada pelo Partido Libertação Nacional (PLN)", o mesmo de Arias, afirmou a reportagem.

A denúncia foi apresentada na segunda-feira e Arias é investigado por suspeita de estupro. Segundo a vítima, a decisão de fazer a denúncia ocorreu porque considera que existe um contexto de apoio depois de que outras mulheres no mundo fizeram denúncias similares e foram atendidas, indicou a reportagem.

Arias negou as acusações. "Nunca agi em desrespeito à vontade de qualquer mulher, muito menos no caso de sua liberdade de se relacionar com outra pessoa. Na minha vida pública, tenho promovido a igualdade de gênero por considerar um meio indispensável para alcançar uma sociedade mais justa e igual", disse o ex-presidente numa declaração.

Arias foi presidente da Costa Rica entre 1986 e 1990 e entre 2006 e 2010. Em 1987, ele ganhou o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços para acabar com guerras civis nas nações vizinhas da América Central.

CN/ap/efe/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais