Europeus saúdam retomada de negociações de paz no Oriente Médio | Notícias internacionais e análises | DW | 21.08.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Europeus saúdam retomada de negociações de paz no Oriente Médio

Líderes da União Europeia reiteram posição favorável a uma solução de dois Estados. Netanyahu e Abbas vão retomar as negociações de paz no próximo dia 2 de setembro, em Washington.

default

Abbas e Netanyahu aceitaram o convite dos EUA

O anúncio de que israelenses e palestinos retomarão as conversações de paz foi bem recebido na Europa. Na Alemanha, o ministro do Exterior, Guido Westerwelle, disse que a decisão é "um sinal importante para o processo de paz e dá novas esperanças de rápidos progressos rumo a uma solução de dois Estados" na região.

Ele acrescentou que o governo alemão colaborou intensamente com seus parceiros do Quarteto do Oriente Médio para assegurar que israelenses e palestinos reiniciassem as conversações. Westerwelle apelou ainda para que os dois lados usem essa oportunidade e criem um ambiente favorável às negociações.

Nesta sexta-feira (20/08), a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, anunciou que o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o líder palestino Mahmud Abbas irão se reunir em Washington no próximo dia 2 de setembro para retomar as negociações de paz.

"Evolução positiva"

Na Itália, o ministro do Exterior, Franco Frattini, disse que se trata de uma evolução extremamente positiva e que o governo do país dará todo o apoio necessário. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, saudou a decisão e disse que diversas vezes encorajou Netanyahu e Abbas a retomarem o diálogo.

A coordenadora da diplomacia da União Europeia (UE), Catherine Ashton, apelou a israelenses e palestinos para que trabalhem com rapidez e intensidade, a fim de concluir as negociações de paz no prazo de um ano. Ashton lembrou que a UE defende uma solução de dois Estados, "que vivam lado a lado em paz e em segurança um com o outro e em relação aos países vizinhos"

Conversações podem durar um ano

Netanyahu e Abbas vão retomar as negociações de paz após uma pausa de 20 meses e, segundo Clinton, elas poderão estar concluídas em um ano. Em nota, o premiê israelense aceitou o convite de Clinton. "Chegar a um acordo é um desafio difícil, mas é possível."

Líderes da OLP (Organização para a Libertação da Palestina) votaram neste sábado (19/08) pela aceitação do convite. Já a organização extremista Hamas, que governa a Faixa de Gaza, rejeitou a proposta de Clinton e disse que se trata de uma tentativa de "enganar os palestinos".

Durante o anúncio, Clinton disse que as conversações deverão chegar a uma solução final sobre as fronteiras do futuro Estado palestino, os assentamentos israelenses na Cisjordânia, o direito de retorno de refugiados palestinos e a situação de Jerusalém.

As negociações vão decorrer sob a égide do presidente Barack Obama e com a presença do presidente do Egito, Hosni Moubarak, e do rei Abdallah da Jordânia.

AS/dpa/afp/lusa

Revisão: Soraia Vilela

Leia mais