1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Duas mulheres sentadas em uma fonte na Grécia. Elas usam máscara e olham uma para outra. Uma delas segura duas sacolas.
Foto: Angelos Tzortzins/AFP

Europa ultrapassa 100 milhões de casos de covid-19

2 de janeiro de 2022

Número representa mais de um terço do total de infecções em todo mundo. Continente é o atual epicentro da pandemia. Apesar do crescimento das infecções, no entanto, número de mortes é menor que no começo de 2021.

https://www.dw.com/pt-br/europa-ultrapassa-100-milh%C3%B5es-de-casos-de-covid-19/a-60310977?maca=bra-rss-br-all-1030-rdf

Atual epicentro da pandemia de covid-19, a Europa ultrapassou a marca de 100 milhões de casos identificados de covid-19 desde a descoberta do novo coronavírus em dezembro de 2019, segundo contagem da agência de notícias AFP realizada neste sábado (01/01).

Os 100.074.753 casos identificados na região europeia, que inclui 52 países e territórios que vão da costa do Atlântico ao Azerbaijão e Rússia, representam mais de um terço das mais de 289 milhões de infecções detectadas em todo.

Com mais de 4,9 milhões de contágios nos últimos sete dias (59% a mais do que na semana anterior), a região enfrenta atualmente níveis de contaminação sem precedentes, impulsionados pela variante ômicron do coronavírus, com países relatando recordes de casos diários. 

Excluindo os países de menor dimensão, as 10 nações com maior incidência (número de casos nos últimos sete dias por 100.000 habitantes) no mundo são todas europeias. Os três primeiros colocados são Dinamarca (incidência de 2.045), Chipre (1.969) e Irlanda (1.964).

Somente na França, mais de um milhão de casos (1.103.555) foram contabilizados nos últimos sete dias. Isso representa quase 10% do número total de contágios registados no país desde o início da pandemia.

Entre os 52 países e territórios que compõem a região europeia, 17 deles bateram o recorde de casos em uma semana nos últimos dias.

Os valores apresentados pela AFP têm como base os relatórios diários das autoridades sanitárias de cada país.

Apesar dos altos números, especialistas acreditam que uma parte importante dos casos menos graves, sobretudo os assintomáticos, continua sem ser detectada apesar da intensificação do rastreamento. Por essa razão, o número real de infecções deve ser muito maior.  

Menos mortes

A aceleração dos contágios, no entanto, não é, ainda, acompanhada de um aumento das mortes no continente europeu. Uma média de 3.413 mortes diárias foram registradas na Europa nos últimos sete dias, uma queda de 7% em relação à semana anterior. 

O número é bem abaixo do recorde de média de 5.735 mortes por dia no continente, em janeiro de 2021.

A população europeia está ligeiramente mais vacinada do que a média mundial. 

Cerca de 65% dos europeus estão pelo menos parcialmente vacinados, dos quais 61% têm o esquema vacinal completo, contra 58% e 49% da população mundial, respetivamente, segundo dados do site "Our World in Data", da Universidade de Oxford.

le (afp, lusa)