EUA retiram privilégios comerciais da Índia | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 01.06.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Economia

EUA retiram privilégios comerciais da Índia

Programa GSP visa promover crescimento em países em desenvolvimento e permite a exportação para EUA de US$ 5,6 bilhões de produtos indianos sem taxas. Segundo Trump, país não assegura acesso equitativo a seus mercados.

Donald Trump (esq.) e premiê indiano, Narendra Modi

Donald Trump (esq.) e premiê indiano, Narendra Modi

A Índia perderá seus privilégios no comércio com os Estados Unidos, enquanto beneficiária do Sistema Generalizado de Preferências (GSP), anunciou o presidente Donald Trump em comunicado, nesta sexta-feira (31/05).

"Eu determinei que a Índia não assegurou aos EUA que fornecerá acesso equivalente e razoável a seus mercados. Portanto é apropriado cancelar a designação da Índia como país em desenvolvimento beneficiário, a partir de 5 de junho de 2019."

O GSP permite a entrada, sem taxação aduaneira, de 5,6 bilhões de dólares em produtos indianos nos EUA. O programa foi introduzido em 1976, com o fim de promover o crescimento econômico nos países em desenvolvimento, permitindo a exportação de certos produtos seus para os EUA, sem taxas.

Em comunicado, o governo indiano classificou a medida de Trump de "infeliz", frisando que "a Índia, como os EUA e outras nações, sustentará sempre seu interesse nacional nessas questões". Entretanto acrescentou que vê a situação como parte de uma relação econômica continuada com os americanos, e que seguirá "construindo laços fortes com os EUA, tanto economicamente quanto de povo para povo".

"Estamos confiantes de que as duas nações continuarão a cooperar intensivamente, para que esses laços sigam crescendo de maneira mutuamente proveitosa", acrescentou Nova Délhi, em tom excepcionalmente conciliatório, neste sábado.

Numa carta aos líderes do Congresso americano, em 4 de março, a Casa Branca anunciou que Índia e Turquia estavam prestes a perder seu tratamento comercial preferencial. Em maio, 24 congressistas pediram em carta que Trump não cancelasse o status indiano no GSP.

Remover um país do programa exige notificação prévia de 60 dias, e aparentemente Trump esperou que se concluíssem as gigantescas eleições na Índia, antes de completar a medida. Segundo a mídia indiana, em reação Nova Délhi estaria considerando sobretaxar mais de 20 mercadorias americanas, incluindo produtos agrícolas e químicos.

AV/rtr,dpa

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | 
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais