EUA pedem reunião urgente sobre Coreia do Norte | Notícias internacionais e análises | DW | 04.07.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ásia

EUA pedem reunião urgente sobre Coreia do Norte

Conselho de Segurança deverá se reunir já nesta quarta-feira para debater novo teste, que Estados Unidos agora afirmam que se trata mesmo de um míssil balístico intercontinental.

default

Televisão sul-coreana transmite anúncio feito pela Coreia do Norte sobre o novo teste

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, pediu nesta terça-feira (04/07) uma reunião urgente do Conselho de Segurança para abordar o novo lançamento de um míssil pela Coreia do Norte. A reunião a porta fechadas foi marcada para esta quarta-feira, segundo os EUA.

China e Rússia apresentam plano conjunto para Coreia do Norte

Entenda: A complexa equação chamada Coreia do Norte

O pedido foi feito depois de a Coreia do Norte ter divulgado a realização de um teste bem-sucedido de um míssil balístico intercontinental. Os Estados Unidos inicialmente minimizaram o alcance do míssil, afirmando que se tratava de um projétil de médio alcance. Porém, mais tarde o Pentágono confirmou que se trata mesmo de um míssil balístico intercontinental, confirmando informação adiantada pela agência de notícias Reuters e pela emissora de televisão Fox News.

O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, disse que é necessária uma ação global para bloquear a Coreia do Norte. "Qualquer país que hospede trabalhadores convidados da Coreia do Norte, que forneça algum tipo de benefício econômico ou militar ou não cumpra a total implementação de resoluções do Conselho de Segurança está ajudando e beneficiando um regime perigoso", afirmou. Ele acrescentou que os Estados Unidos jamais vão aceitar que a Coreia do Norte tenha armas nucleares.

Este foi o 11º teste realizado pela Coreia do Norte desde o início do ano. O míssil voou por mais tempo do que todos os outros testados pelo regime de Kim Jong-un até então, um total de 37 minutos. Segundo analistas, isso significa que a Coreia do Norte estaria em condições de atingir o Alasca. Em janeiro, o presidente Donald Trump afirmara que isso jamais aconteceria.

AS/efe/lusa/rtr/ap

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados