Especial: Artistas exilados em Berlim, uma vida de fuga | Programa semanal sobre cultura e arte contemporânea | DW | 10.12.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Camarote.21

Especial: Artistas exilados em Berlim, uma vida de fuga

Países de origem: Belarus, Síria, China e Irã. Quatro artistas perseguidos politicamente que encontraram um novo lar na capital alemã. Por que tiveram que deixar a terra natal? Quais os desafios na nova pátria?

Assistir ao vídeo 26:03

Conheça os personagens desta programa:

- Se ele tivesse ficado, provavelmente teria se tornado um "revolucionário profissional", ou acabaria na prisão. O diretor de teatro Zmicer Chartkou diz que prefere fazer arte e, por isso, deixou Belarus para viver em Berlim. Mas mesmo da capital alemã, ele continua lutando pela liberdade de expressão na sua terra natal.

- "Em nenhum lugar me sinto em casa". O tempo que o escritor e cineasta chinês Zhou Qing passou na prisão por causa de suas visões políticas mudou para sempre a vida dele. Mesmo no exílio em Berlim, ele continua tratando sobre temas que ninguém ousa abordar na China.

- Entrevista com o vice-presidente do Centro PEN da Alemanha, que acolhe escritores perseguidos e ameaçados em outros países. O PEN engloba 150 associações de escritores pelo mundo e uma das bandeiras é a liberdade de expressão. 

- Ela não queria, mas teve que ir embora. Agora, a artista plástica a escritora síria Kefah Ali Deeb mora em Berlim e trabalha como guia de museu. Um de seus objetivos é incentivar a coexistência pacífica entre anfitriões e refugiados.

- Há 10 anos, quando chegou na Alemanha, ele precisou abandonar toda uma vida. Shahabaddin Sheikhi era escritor no Irã e tinha um ótimo emprego. Com a fuga, teve a sensação de que a sua identidade foi roubada. Agora, luta para recomeçar a vida do zero em Berlim.