Espanha convoca novas eleições para junho | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 03.05.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Espanha convoca novas eleições para junho

Depois de os partidos fracassarem na formação de um novo governo, rei Felipe dissolve parlamento e fixa data do novo pleito. É a primeira vez que país terá eleições antecipadas.

Rei Felipe 6º da Espanha

Rei Felipe 6º da Espanha

O rei Felipe 6º da Espanha assinou nesta terça-feira (03/05), em Madri, o decreto que dissolve o parlamento e convoca novas eleições para 26 de junho, depois do fracasso dos partidos em chegar a um acordo para a formação de um governo no país.

O decreto estabelece que o novo parlamento será constituído em 19 de julho, data de início da nova legislatura, depois da mais curta da história recente do país.

É a primeira vez que a Espanha terá eleições antecipadas. Os espanhóis voltarão às urnas apenas seis meses depois de terem votado. O primeiro-ministro em exercício do governo espanhol, Mariano Rajoy, seguirá em funções até que haja um novo executivo.

"É a primeira vez que isso acontece porque não soubemos cumprir o mandato dos cidadãos. Espero que todos tenhamos aprendido a lição e que, depois das eleições, chegue-se o mais rapidamente possível a um acordo de governo", disse o presidente do Congresso dos Deputados, o socialista Patxi López.

Assim, os partidos se preparam para uma nova campanha eleitoral, que começará oficialmente em 10 de junho. As eleições de dezembro não formaram maiorias claras, e vetos dos principais partidos tornaram impossível a formação de um governo.

Na eleição passada, a força mais votada foi o conservador Partido Popular (PP), de Mariano Rajoy, mas que ficou longe da maioria absoluta, com 123 assentos no Congresso de 350 deputados. Depois vêm o Partido Socialista (PSOE), com 90 assentos, o Podemos, com 69, e o Ciudadanos, com 40.

AS/efe/rtr

Leia mais