Eslováquia testa metade de sua população em um dia | Notícias internacionais e análises | DW | 01.11.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Eslováquia testa metade de sua população em um dia

Mais de 2,5 milhões de eslovacos fizeram exame para o coronavírus no sábado, primeiro dia de uma iniciativa do governo que planeja testar todos os habitantes. Objetivo é frear casos sem precisar impor lockdown nacional.

Mulher em testada na Eslováquia

Ao todo, 25.850 pessoas, ou 1% dos testados no sábado, receberam resultado positivo para o coronavírus

O governo da Eslováquia informou neste domingo (01/11) que quase metade da população do país foi testada para o coronavírus ao longo do sábado, primeiro dia de uma operação que visa testar quase todos os 5,5 milhões de habitantes de seu território, exceto as crianças.

As autoridades eslovacas esperam que a iniciativa, a primeira em um país de tamanho comparável, ajude a reverter um rápido aumento dos casos de covid-19, sem precisar impor um lockdown nacional.

O ministro da Defesa, Jaroslav Nad', informou que 2,58 milhões de eslovacos fizeram o exame no sábado. Destes, 25.850 pessoas, ou 1% dos testados, receberam resultado positivo para o coronavírus e deverão entrar em quarentena.

Segundo o governo, mais de 40.000 médicos e equipes de apoio envolvendo militares, policiais, funcionários administrativos e voluntários trabalharam em 5.000 localidades em todo o país para a realização dos testes. Longas filas foram observadas nos centros de testagem.

O exame foi gratuito e voluntário, mas as autoridades eslovacas anunciaram que vão impor quarentena àqueles que não participarem dos testes, incluindo uma proibição de se locomover ao local de trabalho.

O primeiro-ministro do país, Igor Matovic, pediu desculpas por pressionar os cidadãos a serem testados, mas afirmou que a exigência foi justificada.

"A liberdade deve caminhar junto com a responsabilidade para com aqueles que são mais fracos entre nós: pacientes com câncer, idosos, pessoas com outras doenças", disse o premiê em entrevista coletiva.

O governo havia anunciado recentemente que pretende testar todos seus cidadãos com mais de 10 anos de idade, em dois dias de exames em massa. A segunda missão de testagem está programada para o próximo fim de semana.

A Eslováquia sofreu apenas alguns milhares de casos ao longo da primeira onda de covid-19 na Europa, depois de ter imposto rapidamente uma série de medidas de contenção.

Mas as infecções dispararam nas últimas semanas, aumentando a preocupação das autoridades de que o país possa seguir a trilha da vizinha República Tcheca, que tem a maior taxa de mortalidade em duas semanas na Europa.

Os planos de testagem em massa foram criticados por alguns especialistas, que duvidam que eles façam sentido como uma médica única. Alguns também apontaram que os testes de antígeno usados pela iniciativa do governo são menos precisos que os exames PCR de laboratório, podendo resultar em mais falsos negativos, mas também falsos positivos.

Neste domingo, a Eslováquia registrou 2.282 novos casos de coronavírus por testes PCR, totalizando agora 59.946 desde o início da pandemia, sem contar com os resultados da testagem em massa no sábado. Ao todo, 219 pessoas morreram por covid-19 no país.

EK/rtr/dpa/afp

Leia mais