1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto externa mostra vulcão ao longe sem expelir lava ou cinzas
Vulcão em La Palma permaneceu em erupção por 85 dias e 8 horas, a mais longa erupção já registrada na ilhaFoto: EUROPA PRESS/dpa/picture alliance

Erupção de vulcão em La Palma terminou, diz governo espanhol

25 de dezembro de 2021

Primeiro-ministro Pedro Sanchez descreveu fim da erupção do Cumbre Vieja como o "melhor presente de Natal". Vulcão expeliu lava e cinzas por mais de 85 dias e provocou danos de quase 1 bilhão de euros.

https://www.dw.com/pt-br/erup%C3%A7%C3%A3o-de-vulc%C3%A3o-em-la-palma-terminou-diz-governo-espanhol/a-60257225?maca=bra-rss-br-all-1030-rdf

A erupção vulcânica na ilha espanhola de La Palma terminou, mais de três meses após o seu início, anunciaram autoridades da Espanha neste sábado (25/12).

A confirmação foi divulgada após 10 dias de atividade de baixa intensidade no vulcão Cumbre Vieja em La Palma, uma das Ilhas Canárias, localizadas na costa noroeste da África.

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez classificou a notícia como "o melhor presente de Natal".

A erupção iniciada em 19 de setembro enviou nuvens de cinzas e gases tóxicos para o ar e criou rios de lava que atingiram o mar.

Mais de 2,9 mil imóveis, incluindo casas, escolas, igrejas e centros de saúde, assim como grandes áreas agrícolas foram danificadas, com um dano estimado de 900 milhões de euros (R$ 5,8 bilhões).

Não houve registros de pessoas feridas ou mortas, mas milhares tiveram que ser retiradas de suas casas.

A erupção, que foi acompanhada por terremotos frequentes, foi a primeira em La Palma desde 1971.

Recorde da mais longa erupção

O vulcão silenciou na noite de 14 de dezembro, após 85 dias e 8 horas de erupção, a mais longa erupção já registrada da ilha.  

"Continuaremos trabalhando juntos, todas as instituições, para relançar a maravilhosa ilha de La Palma e reparar os danos causados", escreveu Sanchez neste sábado no Twitter.

Até agora, seu governo prometeu 225 milhões de euros (R$ 1,4 bilhão) para financiar a recuperação, incluindo moradia temporária e assistência financeira às pessoas que perderam seus empregos.

Um porta-voz do comitê de emergência vulcânica das Canárias, Miguel Angel Morcuende, ponderou que o vulcão segue imprevisível e pode voltar à atividade de repente.

"Não é alegria ou satisfação – como podemos definir o que sentimos? É um alívio emocional. E esperança", disse Julio Perez, diretor do comitê de emergência. "Porque agora podemos nos empenhar e focar completamente no trabalho de reconstrução."

Residentes voltam para casa

As pessoas que retornaram às suas casas foram instruídas a abrirem as janelas para garantir que qualquer gás tóxico que tivesse se acumulado pudesse escapar, informou a emissora estatal RTVE.

A lava também levará um longo tempo para esfriar até um nível seguro.

Especialistas alertaram que levará vários anos para limpar as áreas destruída pela lava e remover enormes quantidades de cinzas dos edifícios e das estradas.

Imagem mostra rio de lava avançando sobre prédios.
Quase 3 mil imóveis, incluindo casas, foram destruídas ou danificadas pelo fluxo de lava do vulcãoFoto: Emilio Morenatti/AP Photo/picture alliance

Soldados de uma unidade de emergência já têm removido cinzas dos telhados para evitar o colapso dos edifícios.

La Palma tem aproximadamente 35 quilômetros de comprimento por 20 quilômetros de largura em seu ponto mais amplo.

A agricultura e o turismo são os principais setores econômicos nas Ilhas Canárias, um destino popular para muitos europeus em férias devido ao seu clima quente, especialmente no inverno.

Outra erupção vulcânica, a mais longa da Islândia em 50 anos, também foi declarada encerrada nesta semana.

A erupção começou em 19 de março nos arredores do Monte Fagradalsfjall, a cerca de 30 quilômetros a sudoeste da capital Reykjavik.

bl (AFP, AP, dpa)