Embaixador britânico nos EUA renuncia após vazamento de mensagens | Notícias internacionais e análises | DW | 10.07.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Embaixador britânico nos EUA renuncia após vazamento de mensagens

Em carta de demissão, Kim Darroch diz que não havia condições de permanecer no cargo depois de documentos com críticas a Trump e ao governo americano terem sido divulgados. Caso levou presidente a romper com embaixador.

Situação atual impossibilita que eu possa continuar com meu papel como gostaria, afirma o britânico Kim Darroch

"Situação atual impossibilita que eu possa continuar com meu papel como gostaria", afirma o britânico Kim Darroch

O embaixador britânico nos Estados Unidos, Kim Darroch, pediu demissão nesta quarta-feira (10/07) na esteira do escândalo do vazamento de mensagens confidenciais, nas quais ele critica o governo americano e o presidente Donald Trump.

"Desde o vazamento dos documentos oficiais da embaixada, houve uma grande quantidade de especulações em torno do meu cargo e sobre a duração do meu tempo restante como embaixador", diz Darroch em sua carta de denúncia. "Quero pôr um fim nessas especulações."

"A situação atual torna impossível que eu possa continuar com meu papel da maneira como gostaria", afirma. "Apesar de meu posto não se encerrar até o final do ano, acredito que, nas circunstâncias atuais, o rumo mais responsável é permitir a indicação de outro embaixador."

A polêmica surgiu após memorandos diplomáticos internos terem sido divulgados no último domingo pelo jornal Mail on Sunday. O veículo não revelou de que forma obteve as mensagens de Darroch, que cobrem o período de 2017 até os dias atuais.

Nelas, o embaixador qualifica o governo em Washington como "inepto" e "disfuncional" e diz que Trump tem "capacidade baixa de concentração". Segundo ele, para se comunicar com o presidente é "necessário apresentar argumentos simples, inclusive rudes".

"Não acreditamos realmente que esta administração vá ser muito mais normal. Menos disfuncional, menos imprevisível; menos dividida em facções, menos inepta", afirmara Darroch.

A situação se agravou após Trump dizer que não trabalharia mais com Darroch, além de fazer uma série de críticas ao governo da primeira ministra britânica, Theresa May. "O embaixador maluco que o Reino Unido impôs aos EUA não é alguém com quem estejamos eufóricos, é um cara muito estúpido", escreveu o líder americano no Twitter.

Trump ainda afirmou que tem sido "muito crítico sobre o modo como o Reino Unido e a primeira-ministra Theresa May lidaram com o Brexit". "Que bagunça ela e seus representantes criaram", escreveu o presidente. "Eu disse a ela como isso deveria ser feito, mas ela decidiu ir por outro caminho."

"A boa notícia para o maravilhoso Reino Unido é que eles terão em breve um novo primeiro-ministro. Embora eu tenha gostado da magnífica visita de Estado no mês passado, foi com a rainha que fiquei muito impressionado!", completou.

Após a demissão de Darroch, o Ministério do Exterior britânico agradeceu em nome de Theresa May os serviços do embaixador. "O senhor foi alvo de um vazamento malicioso, quando estava simplesmente desempenhando seu trabalho", disse o vice-ministro da pasta, Simon McDonald.

Jeremy Hunt, ministro do Exterior e candidato à sucessão de May, qualificou os tweets de Trump como "desrespeitosos e equivocados". Ele se diz "profundamente entristecido" pela demissão de Darroch. 

Nesta terça-feira, durante um debate televisivo com Boris Johnson, seu adversário na disputa pela chefia de governo, Hunt havia dito que o embaixador permaneceria no cargo caso ele ganhasse a disputa. 

RC/dpa/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
App | Instagram | Newsletter

Leia mais