Embaixada da Polônia em Israel é pichada com suásticas | Notícias internacionais e análises | DW | 19.02.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Embaixada da Polônia em Israel é pichada com suásticas

Incidente ocorre após premiê polonês afirmar que também houve "perpetradores judeus" durante ocupação nazista da Polônia, em novo acirramento das tensões diplomáticas entre os dois países.

Entrada de embaixada polonesa é pichada em Tel Aviv

Entrada de embaixada polonesa é pichada em Tel Aviv

Suásticas e xingamentos foram pichados em frente à Embaixada da Polônia em Tel Aviv neste domingo (18/02), em meio às tensões diplomáticas entre Polônia e Israel causadas pela polêmica "Lei do Holocausto" polonesa.

A polícia israelense afirmou que está investigando o caso e divulgou imagens das pichações. Além de suásticas, elas incluem palavras como "assassinos".

O incidente ocorreu um dia após o primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, afirmar que também houve "perpetradores judeus" durante a ocupação nazista da Polônia. Ele havia sido questionado por um jornalista, durante a Conferência de Segurança de Munique, sobre a alteração na legislação polonesa que torna crime atribuir aos poloneses qualquer papel no massacre de judeus na Segunda Guerra Mundial.

Leia mais: Polônia sob enxurrada de críticas por lei sobre Holocausto

O jornalista israelense disse que seus familiares foram denunciados aos nazistas por vizinhos poloneses e perguntou a Morawiecki se seria penalizado por contar essa história na Polônia.

"Claro que não será passível de punição, não será visto como criminoso, dizer que houve perpetradores poloneses, assim como houve perpetradores judeus, assim como houve perpetradores russos, assim como ucranianos, e não apenas perpetradores alemães", respondeu Morawiecki.

Depois da declaração, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, conversou por telefone com Morawiecki. Após falar com Netanyahu, Morawiecki afirmou que o diálogo com Israel sobre o Holocausto é necessário e serve como um alerta para evitar que crimes semelhantes voltem a ocorrer.

Apesar disso, uma porta-voz do partido conservador Lei e Justiça (PiS), de Morawiecki, disse que o premiê "falou a verdade que é difícil para o lado israelense aceitar" e que "não há necessidade de pedir desculpas por falar a verdade".

Cerca de 3 milhões de judeus que viviam na Polônia foram mortos pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, quase a metade de todos os judeus mortos no Holocausto. Judeus de toda a Europa foram enviados para campos de extermínio localizados na Polônia ocupada, incluindo Auschwitz, Treblinka, Sobibor e Belzec.

CN/rtr/ap

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais