1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
AGH Wahlabend in Berlin | Franziska Giffey und Bettina Jarasch
a verde Bettina Jarasch e a social-democrata Franziska GiffeyFoto: Soeren Stache/pool/dpa-Zentralbild/picture alliance

Eleição em Berlim é dominada pelo campo progressista

26 de setembro de 2021

Partido Social-Democrata e verdes travam eleição acirrada pela chefia do governo da capital alemã com duas mulheres candidatas. Cidade não tem uma mulher no comando desde 1948. Ultradireita encolhe na capital.

https://p.dw.com/p/40tkc

Projeções do resultado das eleições estaduais em Berlim mostraram uma disputa acirrada entre o Partido Social-Democrata (SPD), que hoje lidera o governo da capital alemã, e os Verdes, que registaram crescimento significativo na cidade.

Segundo resultado oficial preliminar, o SPD recebeu 21,4% dos votos e os Verdes, 18,9%. Já a União Democrata Cristã (CDU), o partido de Angela Merkel apareceu com 18,1%.

Na última eleição estadual em Berlim, em 2016, o SPD recebeu 21,6% dos votos e os Verdes, 15,2%.

O atual prefeito da capital alemã é Michael Müller, do SPD, à frente de uma coalizão que inclui os Verdes e o partido A Esquerda como parceiros minoritários.

Müller não concorre a mais um mandato como prefeito, pois planeja migrar para a política nacional.

A imprensa local aponta que é certo que Franziska Giffey, uma ex-ministra do governo federal, deve liderar o próximo governo. A dúvida é com quais parceiros.

Bettina Jarasch
Bettina Jarasch é a candidata dos Verdes a prefeita de BerlimFoto: Jörg Carstensen/picture alliance

Os verdes já manifestaram que querem continuar com a atual coalizão que também inclui o SPD e o partido A Esquerda.

Mas há especulações sobre Giffey tentar fazer algum acerto com os membros da CDU e o Partido Liberal Democrático (FDP, na sigla em alemão), que conquistou 7,2% dos votos, de acordo com o resultado preliminar. "Essa seria uma coalizão contra a vontade dos berlinenses", disse a verde Jarasch sobre o risco de seu partido ficar de fora do governo com a entrada de conservadores e liberais. Giffey não quis comentar neste domingo sobre suas opções.

Com o resultado, Berlim voltará a ser comandada por uma mulher após um intervalo de mais de sete décadas. A última mulher a ocupar a liderança do governo local foi a social-democrata Louise Schroeder, que foi prefeita interina por cerca de um ano e meio entre 1947 e 1948.

Franziska Giffey
Franziska Giffey, do SPD, também está no páreo para ser a nova prefeita da capital alemãFoto: Bernd von Jutrczenka/dpa/picture alliance

Esquerda, CDU e AfD perdem espaço

Já o partido A Esquerda deve perder votos se comparado ao seu desempenho de 2016, quando pontuou 15,6%. Segundo o resultado preliminar, o partido tem 14% dos votos.

A queda mais drástica, porém, deve ser experimentada pelo partido ultradireitista Alternativa para a Alemanha (AfD), que em 2016 recebeu 14,2% dos votos na eleição estadual em Berlim. De acordo com o resultado preliminar, a legenda recebeu 8%.

bl/jps (ots)