EI mata 284 escudos humanos em Mossul | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 22.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Iraque

EI mata 284 escudos humanos em Mossul

CNN informa que "Estado Islâmico" assassinou centenas de homens e até mesmo crianças, usados contra a ofensiva do Exército à metrópole em mãos dos radicais islâmicos. Forças iraquianas matam 48 jihadistas em Kirkuk.

default

Combatentes do "Estado Islâmico" no Iraque

A emissora americana CNN anunciou neste sábado (22/10) que o grupo terrorista "Estado Islâmico" (EI) teria executado 284 homens e jovens na sequência da grande ofensiva do Exército iraquiano contra a cidade de Mossul, bastião dos jihadistas.

Com base numa fonte do serviço secreto iraquiano, a CNN informou que os mortos foram usados como escudos humanos contra ataques praticados em distritos do sul de Mossul. As vítimas, algumas delas crianças, foram mortas a tiros e uma escavadeira foi usada para jogar os corpos numa vala coletiva, acrescentou a emissora.

A grande ofensiva para a reconquista de Mossul teve início na última segunda-feira. Além de unidades curdas pershmerga, lutam ao lado do Exército iraquiano também milícias xiitas. Eles são apoiados por ataques aéreos da coalizão anti-"Estado Islâmico".

Mortos do Daesh

As forças de segurança iraquianas informaram, por sua vez, ter matado 48 dos homens armados que atacaram algumas zonas de Kirkuk, numa ação reivindicada pelo grupo extremista "Estado Islâmico" (EI), disse neste sábado o chefe da polícia da cidade do norte do Iraque.

"Quarenta e oito terroristas do Daesh [forma pejorativa para se referir ao 'Estado Islâmico'] foram mortos nos confrontos", declarou o general Khattab Omar Aref, adiantando que alguns dos homens se fizeram explodir após terem sido encurralados pelas forças de segurança.

Um alto funcionário do Ministério do Interior disse que pelo menos outras 46 pessoas morreram no ataque e nos combates que se seguiram, na maioria membros das forças de segurança.

CA/afp/kna/lusa

Leia mais