Dois ministros europeus contraem covid-19 após cúpula | Notícias internacionais e análises | DW | 17.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Dois ministros europeus contraem covid-19 após cúpula

Chanceleres de Áustria e Bélgica anunciam teste positivo para o coronavírus. Governo austríaco diz que ministro pode ter sido infectado na reunião entre titulares do Exterior da UE no início da semana.

À direita, a ministra belga do Exterior, Sophie Wilmes, cumprimenta o chefe de assuntos estrangeiros da UE, Josep Borrell

À direita, a ministra belga Sophie Wilmes cumprimenta o chefe da diplomacia da UE, Josep Borrell

Os ministros do Exterior da Áustria, Alexander Schallenberg, e da Bélgica, Sophie Wilmes, anunciaram neste sábado (17/10) que testaram positivo para o coronavírus.

Os dois participaram de uma cúpula entre chanceleres da União Europeia (UE) em Luxemburgo no início da semana, o que levantou preocupações de que a reunião pode ter sido um evento "superpropagador" da covid-19.

Schallenberg e Wilmes sentaram lado a lado em um café da manhã em grupo na última segunda-feira, segundo informou uma porta-voz do Ministério do Exterior da Áustria.

"Suspeita-se que Schallenberg pode ter sido infectado no Conselho de Assuntos Estrangeiros em Luxemburgo", disse a porta-voz, acrescentando que o ministro austríaco não apresenta sintomas e que foi testado apenas como uma medida rotineira.

Wilmes, por sua vez, informou que contraiu a doença em uma postagem no Twitter, mas sem mencionar a possibilidade de ter sido infectada na cúpula europeia.

"Meu resultado do teste de covid deu positivo. A contaminação provavelmente ocorreu dentro do meu círculo familiar, dadas as precauções tomadas fora de casa", escreveu a ministra belga.

O ministro do Exterior da Áustria, Alexander Schallenberg, em foto de setembro de 2019

O ministro do Exterior da Áustria, Alexander Schallenberg

Segundo documentos oficiais, também compareceram pessoalmente à cúpula o chefe de política externa da UE, Josep Borrell, e os ministros do Exterior de Alemanha, França, Espanha, Itália, Dinamarca, Bulgária, Estônia, Irlanda, Grécia, República Tcheca, Croácia, Chipre, Letônia, Luxemburgo, Hungria, Malta, Holanda, Polônia, Romênia, Eslovênia, Eslováquia, Finlândia e Suécia.

Um porta-voz do ministro do Exterior alemão, Heiko Maas, afirmou que ele não teve contato próximo com Schallenberg e que recentemente testou negativo para o coronavírus.

"Um conceito estrito de higiene e segurança é aplicado durante as viagens de negócios do Ministério do Exterior. Nesse contexto, o ministro do Exterior Maas e todos os funcionários que o acompanharam em Luxemburgo foram testados de maneira rotineira e tiveram resultados negativos, o mais recente ontem, sexta-feira", disse o porta-voz.

O ministro do Exterior francês, Jean-Yves Le Drian, também recebeu resultado negativo na última quinta-feira, durante uma viagem à Argélia.

Na sexta-feira, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, defendeu a realização de reuniões presenciais entre representantes da União Europeia, apesar do aumento exponencial de casos em todo o continente. No mesmo dia, a Europa registrou 150 mil infecções em apenas 24 horas.

Na última quinta, líderes do bloco se reuniram em Bruxelas para discutir temas como a saída do Reino Unido da UE, a pandemia e mudanças climáticas. 

Duas autoridades presentes, a primeira-ministra da Finlândia, Sanna Marin, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, foram forçadas a deixar a reunião mais cedo para entrar em quarentena, após serem informadas de que tiveram contato com pessoas infectadas.

EK/dpa/rtr/dw

Leia mais