DFB confirma denúncias de assédio sexual contra ex-supervisor de árbitros | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 17.02.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

DFB confirma denúncias de assédio sexual contra ex-supervisor de árbitros

Manfred Amerell, até há poucos dias membro da comissão de arbitragem da Federação Alemã de Futebol, é acusado de assédio sexual por jovens árbitros. A entidade confirmou ter recebido "vários" relatos.

default

Futebol alemão ameaçado por novo escândalo

Segundo a Federação Alemã de Futebol (DFB, na sigla em alemão) "vários juízes relataram, independente uns dos outros, terem sido molestados ou pressionados". Conforme a entidade, eles só se pronunciaram agora porque tinham medo de sofrer retaliações pessoais ou profissionais.

"Em face de todos os casos que chegaram ao nosso conhecimento, a DFB tem convicção de que o senhor Amerell violou claramente suas obrigações como membro da comissão de arbitragem", afirmou a federação, através de comunicado

Schiedsrichtersprecher Manfred Amerell

Amerell refuta as acusações

Advogado de Amerell critica a DFB

O caso veio a público em dezembro, depois que o juiz da Fifa Michael Kempter, de 27 anos, apresentou queixa à DFB, acusando Amerell, então supervisor de árbitros, de tê-lo assediado sexualmente. Manfred Amerell, que renunciou ao cargo pouco tempo depois, nega as acusações.

"Em nenhum momento do passado eu molestei sexualmente um jovem juiz do Campeonato Alemão", declarou Amerell, de 62 anos. Seu advogado acusou a DFB de ter ignorado princípios jurídicos, impedindo consulta a relatórios internos e alegou que nem ele nem seu cliente puderam saber de que Amerell estava sendo acusado.

"Futebol não é mundo perfeito"

A DFB anunciou que tomará providências com respeito ao caso. A prática atual, em que jovens árbitros são acompanhados e avaliados por um longo período por uma única pessoa, deve ser alterada, segundo os dirigentes. O objetivo seria "trazer mais transparência aos processos e evitar, de forma mais eficaz, relações de dependência". "A conduta errada de certos indivíduos não deve ser sistematicamente ignorada", anunciou a entidade. "O futebol não é um mundo perfeito, e o sistema de arbitragem também não", afirmou Theo Zwanziger, presidente da DFB.

FIFA-Schiedsrichter Michael Kempter

Kempter foi o primeiro a encaminhar denúncia à DFB

Zwanziger elogia Kempter

Segundo Zwanziger, não há, no caso Amerell, intenção de julgar inclinações sexuais. "Não queremos que orientações sexuais sejam discriminadas", disse o dirigente. "A DFB se empenha por uma relação aberta e tolerante", disse. Ele ressaltou ser injusto enquadrar as pessoas atingidas no contexto da homossexualidade.

Elas tornaram públicas práticas "sobre as quais muitos se calaram por tempo demais". "Árbitros como Michael Kempter merecem todo o nosso respeito, e espero sinceramente que ele receba de todos os torcedores todo o apoio que ele merece", acrescentou Zwanziger. Após a divulgação do caso, Kempter havia sido dispensado temporariamente de arbitragens. Zwanziger cogita o retorno de Kempter a jogos do Campeonato Alemão.

Autor: Stefan Nestler (md)
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais