Detido ex-líder sérvio-bósnio Karadzic, acusado de genocídio | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 22.07.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Detido ex-líder sérvio-bósnio Karadzic, acusado de genocídio

Radovan Karadzic, acusado de ordenar o pior massacre ocorrido na Europa depois da Segunda Guerra Mundial, é detido na Sérvia.

default

Foto mostra a atual aparência de Karadzic, que era procurado há 13 anos

O ex-líder sérvio-bósnio Radovan Karadzic, de 63 anos, acusado de crimes de guerra pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) e foragido há 13 anos, foi detido no final da noite desta segunda-feira (22/07) pelas forças de segurança sérvias. Ele era um dos foragidos mais procurados da Europa.

Karadzic é acusado de genocídio, crimes contra a humanidade e de violar as regras da Convenção de Genebra. Ele é acusado de ser um dos responsáveis pela limpeza étnica do povo sérvio durante a Guerra da Bósnia-Herzegovina, entre 1992 e 1995.

Ratko Mladic und Radovan Karadzic

Radovan Karadzic (e) e Ratko Mladic nos anos 90

Ele também é acusado pelo TPI de ordenar o massacre no enclave muçulmano de Srebrenica, onde em julho de 1995 os sérvio-bósnios comandados pelo general Ratko Mladic assassinaram 8 mil muçulmanos. O massacre é considerado o pior ocorrido na Europa desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Karadzic foi levado a um juiz de instrução em Belgrado. O interrogatório, que aconteceu nesta madrugada, encerrou-se na manhã desta terça-feira. O juiz recusou-se a revelar pormenores sobre o interrogatório, que qualificou como confidencial. A audiência é o primeiro passo para a extradição de Karadzic para o Tribunal Penal Internacional.

Em comunicado, o procurador do TPI, Serge Brammertz, saudou a detenção de Karadzic. Outros dois fugitivos sérvios ainda são procurados: Mladic, antigo chefe militar de Karadzic, e um antigo líder dos sérvios da Croácia, Goran Hadzic.

Leia mais