Delegação da UE busca esclarecer conflito entre Rússia e Ucrânia | Energia | DW | 05.01.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Energia

Delegação da UE busca esclarecer conflito entre Rússia e Ucrânia

União Europeia envia missão de esclarecimento a Kiev e Moscou após países-membros comunicarem falhas no fornecimento de gás. Bruxelas garante não haver risco de desabastecimento na Europa.

Ucraniano opera um gasoduto na proximidades de Kiev

Ucraniano opera um gasoduto na proximidades de Kiev

A União Europeia (UE) enviou nesta segunda-feira (05/01) para Kiev uma missão com o objetivo de esclarecer as consequências do corte no fornecimento de gás russo à Ucrânia. A delegação europeia manterá contato com autoridades ucranianas.

Segundo a presidência tcheca da União Europeia, nesta terça-feira a delegação, que é liderada pelo ministro tcheco da Indústria e do Comércio, Martin Riman, pretende dialogar sobre o conflito com representantes da empresa russa Gazprom.

A intenção das consultas, segundo a UE, é recolher informações para esclarecer o que de fato está acontecendo, já que alguns países-membros têm comunicado falhas no recebimento de gás russo.

Cortes no abastecimento

Depois de Polônia, Romênia, Eslováquia e Hungria, também a República Tcheca comunicou que recebeu menos gás da Rússia do que o previsto. Também a Turquia e a Croácia, que não fazem parte da União Europeia, disseram ter detectado problemas.

Gasstreit Russland Ukraine Gazprom

Medvedev: roubo de gás

Já a Ucrânia e a Rússia têm divulgado informações contraditórias sobre a crise envolvendo os dois países. Cerca de 80% do gás russo consumido na UE passa por gasodutos instalados em território ucraniano.

O encarregado ucraniano de Segurança Energética, Bohdan Sokolovski, disse neste final de semana que, se o conflito não for resolvido brevemente, poderá acarretar sérios problemas de abastecimento nos próximos 10 ou 15 dias.

Sem risco de desabastecimento

O vice-presidente da Gazprom, Alexander Medvedev, iniciou também nesta segunda-feira viagem pela Europa para dar explicações sobre o caso. Em Paris, ele acusou a Ucrânia de ter roubado 50 milhões de metros cúbicos de gás apenas neste domigo.

Em Bruxelas, a Comissão Europeia divulgou que não há risco de desabastecimento na UE porque os reservatórios estão cheios até 90% da sua capacidade.

No Ano Novo, a Rússia cortou o fornecimento de gás para a Ucrânia por falta de acordo sobre o preço do produto. Desde então, um lado acusa o outro de ser responsável por cortes detectados no fornecimento para alguns países da UE. A Rússia acusa a Ucrânia de estar desviando gás destinado à União Europeia. A Ucrânia nega e acusa a Rússia de chantagem.

Em 2006, um conflito semelhante entre a Rússia e a Ucrânia causou cortes no fornecimento de gás em vários países europeus.

Leia mais

  • Data 05.01.2009
  • Autoria Agências (as)
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente https://p.dw.com/p/GSFF
  • Data 05.01.2009
  • Autoria Agências (as)
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente https://p.dw.com/p/GSFF