Covid-19 avança nas grandes cidades alemãs | Notícias internacionais e análises | DW | 11.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Covid-19 avança nas grandes cidades alemãs

Essen, Stuttgart e Bremen ultrapassam marca de 50 casos notificados de covid-19 por 100 mil habitantes nos últimos sete dias. Berlim adota mais medidas para conter avanço da doença.

Deutschland Maskenpflicht Mundschutz Mund-Nasen-Schutz (picture-alliance/dpa/S. Gollnow)

Estação de metrô em Stuttgart. Cidade alcançou marca de 50,5 casos por 100 mil habitantes

O número de áreas de alto risco de contaminação pelo coronavírus na Alemanha aumentou nas últimas 24 horas, passando a incluir neste domingo (11/10) mais três grandes cidades do país, Essen, Stuttgart e Bremen.  

Três outras grandes cidades já haviam sido classificadas como áreas de risco: Berlim, Frankfurt e Colônia.  

De acordo com a classificação do Instituto Robert Koch (RKI), são consideradas zonas de risco os locais onde são registradas 50 infecções por 100.000 habitantes nos últimos sete dias. A partir desse número são adotadas medidas especiais para tentar conter a doença.

Nesta semana, vários distritos de Berlim superaram por ampla margem essas marcas. O distrito de Neukölln, por exemplo, registra 128,9 casos por 100.000 habitantes neste domingo. O centro de Berlim, por sua vez, 103,1. Já a cidade-estado como um todo registrou média de 58,37 casos por grupo de 100 mil habitantes nos últimos sete dias.

Nas últimas 24 horas, o RKI notificou 3.483 novos casos de Sars-Cov-2 em todo o país e 11 mortes. No sábado, houve registro de 4.721 casos de covid-19, com 15 mortes, o maior número desde o início de abril. Os números costumam ser menores no fim de semana porque vários estabelecimentos de saúde só atualizam seus números na segunda-feira.

Dada a aceleração nos últimos dias, teme-se que sejam atingidas em breve 6.000 infecções diárias, valor que foi registrado no pico da primeira onda da pandemia, no final de março.

Na sexta-feira, já haviam sido registradas 4.500 novas infeções, depois de quinta-feira ter ultrapassado o patamar dos 4.000 novos contágios. Na quarta-feira, foram 2.800 casos.

 A chanceler federal Angela Merkel alertou na sexta-feira, após se reunir com prefeitos dos 11 principais centros urbanos do país, que a situação nas cidades é especialmente preocupante.

Diante desse quadro, várias cidades têm apertado medidas de isolamento para frear os números. Berlim, por exemplo, determinou que bares, restaurantes e lojas de conveniência devem manter-se fechados entre as 23h e 6h.

Desde o início da pandemia, a Alemanha, o país com a maior população da União Europeia - com 83,5 milhões de habitantes -, contabiliza 322.864 casos de covid-19. Segundo os dados do RKI, 9.615 pessoas morreram.

JPS/ots

Leia mais