Coreia do Norte testa míssil no Mar do Japão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 05.04.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Coreia do Norte testa míssil no Mar do Japão

Na véspera de encontro entre presidentes de EUA e China, Pyongyang provoca com lançamento de míssil de médio alcance. Casa Branca reage irritada, afirmando que "os EUA têm falado o suficiente" sobre o país asiático.

TV ul-coreano noticia sobre míssil disparado pela Coreia do Norte

TV ul-coreano noticia sobre míssil disparado pela Coreia do Norte

A Coreia do Norte testou um míssil balístico nesta quarta-feira (05/04), um dia antes do encontro entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu homólogo chinês, Xi Jinping. O míssil viajou cerca de 60 quilômetros sobre o Mar do Japão, afirmou o governo da Coreia do Sul.

Os presidentes de EUA e China se encontram na quinta e sexta-feira no resort do magnata americano Mar-a-Lago na Flórida. Um dos focos da reunião será o conflito com a Coreia do Norte. No começo da semana, Trump ameaçou lidar sozinho com Pyongyang caso a China não cooperar. Agora, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, voltou a provocar Washington com outro teste balístico.

O míssil foi lançado a partir da cidade costeira de Sinpo, no leste do país, e voou cerca de 60 quilômetros, disse o chefe de Estado-Maior da Coreia do Sul em comunicado.

"Hoje, às 06h42 (hora local), a Coreia do Norte disparou um míssil balístico da região de Sinpo para o Mar do Japão. As forças militares estão mantendo um olhar atento sobre os movimentos provocativos da Coreia do Norte e uma postura altamente defensiva." 

O Exército americano confirmou o lançamento e disse que este ocorreu a partir de uma instalação terrestre perto de Sinpo. Avaliações iniciais indicaram se tratar de um míssil balístico de alcance médio KN-15.

"O Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte (Norad) determinou que o lançamento de mísseis da Coreia do Norte não representou uma ameaça à América do Norte", disse o Exército.

O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, somente confirmou o lançamento de "mais um" míssil. "Os EUA têm falado o suficiente sobre a Coreia do Norte. Não temos mais comentários", disse, em comunicado.

De encontro com várias resoluções da ONU, a liderança comunista de Pyongyang segue com o desenvolvimento e o teste de mísseis e armas nucleares que possam atingir não somente a Coreia do Sul e o Japão, mas também a costa dos Estados Unidos. Segundo especialistas, a Coreia do Norte está preparando outro teste nuclear – até o momento, o país realizou cinco, dois deles no ano passado.

O lançamento desta quarta-feira seria uma resposta a exercícios militares anuais conduzidos em conjunto por tropas sul-coreanas e americanas. Pyongyang classificou os treinamentos como ensaio para uma invasão. 

PV/afp/rtr/dpa/ap

Leia mais