CONTROVÉRSIA SOBRE PRESERVATIVOS DESAGRADA AUTOR QUE ENTREVISTOU PAPA | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 27.11.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

CONTROVÉRSIA SOBRE PRESERVATIVOS DESAGRADA AUTOR QUE ENTREVISTOU PAPA

Declarações do Papa sobre preservativos, suicídio assistido, criminosos nazistas e medidas de segurança na Alemanha foram os temas comentados esta semana pelos nossos usuários.

default

Você acha que o livro de entrevistas sinaliza um Papa mais liberal? Não, acho que ele permite conhecer o pensamento da Igreja através da pessoa do Papa, de uma maneira mais honesta, e não tão distorcida como nos artigos de grande parte da mídia.
Silvio A. H. Jacques

Acho que temos que fazer uma distinção entre a pessoa e o cargo do Papa. A Igreja como instituição é extremamente conservadora. O Papa Bento 16 não pode se dar ao luxo de dar declarações moderninhas, mesmo que isso acarrete as já conhecidas críticas de seus adversários. Mas já acho um bom avanço em relação ao uso de preservativos.
Camila Tavares

O fato de Bento 16 aceitar o uso de preservativos em "alguns casos" é altamente elogiável e vai marcar seu pontificado. A coragem e a ousadia de fazer tal declaração causaram surpresa e aceitação por parte de todas as organizações mundiais dedicadas à saúde pública. Tal declaração é de fundamental importância e sua repercussão é positiva.

Bento 16 sabe dos riscos de sua declaração. Mas, para a Igreja, será melhor enfrentar esse risco e mostrar aos agentes de saúde que considera importante salvaguardar a existência humana e reduzir o risco de infecção pelo HIV. Com essa declaração, Bento 16 mostra à humanidade o outro lado de suas preocupações e o quanto essa declaração ajudará a Igreja a evoluir no cenário mundial. Atitudes desse tipo ajudam a humanidade a ver a figura de Bento 16 com outros olhos.
Odalberto Domingos Casonatto

VIÚVO PROCESSA O ESTADO ALEMÃO EM CASO DE SUICÍDIO ASSISTIDO

Por não ter clareza sobre a legislação alemã em caso de "suicídio assistido", sinto certa dificuldade em tomar este ou aquele posicionamento a seu respeito. No Brasil, o suicídio é crime previsto pelo Código Penal, de modo que a culpa recai sobre o médico que tenha assistido o paciente, não importando se este desejasse morrer ou não.

A "eutanásia" ainda é um projeto de lei que dormita no congresso. As pessoas que viram o filme Menina de ouro, com Hilary Swank, talvez possam formar uma opinião a respeito desse assunto.
Francisco Carlos Marrocos

CRIMINOSOS NAZISTAS CONTINUAM SENDO PROCURADOS

Sim, é justificável que, passados tantos anos após o final da 2ª Guerra Mundial, ainda se estejam buscando criminosos nazistas a responderem por seus crimes de guerra. Esses crimes, praticados com requintes de crueldade e insensibilidade, tornaram-se imprescritíveis ante sua desumanidade.
Aluisio B. Barros

MEDIDAS DE SEGURANÇA MUDAM ROTINA DE GRANDES CIDADES ALEMÃS

Concordo com Thomas de Maizière quando ele diz que certas vias de "especulação" provocam temores infundados. Afinal, o pacote-bomba na Namíbia era, na verdade, somente um teste. Acho que as informações do FBI sobre eventuais atentados não merecem crédito, pois – com sua informações – o FBI não conseguiu impedir o 11 de Setembro.

Tais presunções só engendram medo, terror e pânico na população. E pior: todos passam a ser suspeitos, principalmente os muçulmanos. Para ser honesto, tenho medo – sim – de que volte a se repetir na Alemanha o que ocorreu com o nosso brasileiro Charles, que recebeu rajadas de metralhadora e acabou morrendo em Londres só por causa de uma suspeita. Claro que os policiais "estavam cumprindo seu dever"...
Francisco Carlos Marrocos

Leia mais