Condenação de Lula ganha destaque na imprensa europeia | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 12.07.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Condenação de Lula ganha destaque na imprensa europeia

Sentença de mais de 9 anos de prisão repercute em sites de notícias da Europa, que analisam se candidatura do ex-presidente em 2018 será afetada. Jornal francês descreve petista como "ícone da esquerda".

A sentença para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou destaque na imprensa europeia nesta quarta-feira (12/07). O petista foi condenado pelo juiz federal Sergio Moro, no âmbito da Operação Lava Jato, a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O jornal alemão Süddeutsche Zeitung relata as acusações envolvendo o ex-presidente, afirmando que Lula recebeu vantagens indevidas "que valem mais de 1 milhão de euros". "Em troca do dinheiro, ele influenciou negociações entre a petrolífera estatal Petrobras e uma empreiteira", diz o veículo.

Na sentença, Moro entendeu que a empresa OAS destinou valores que somam quase 3,8 milhões de reais à compra e reforma de um tríplex no Guarujá, no litoral paulista, em benefício de Lula. A empreiteira usou a influência política do ex-mandatário para firmar contratos com a Petrobras.

A revista semanal alemã Der Spiegel, por sua vez, explica que a sentença é parte de uma "investigação de corrupção mais ampla, que envolve políticos e empresários brasileiros" e lembra que "o Brasil vive uma profunda crise econômica, com mais de 12 milhões de pessoas desempregadas".

O veículo afirma ainda que "Lula é considerado o candidato mais promissor das eleições presidenciais" em outubro de 2018 e esclarece que, se a sentença proferida por Moro na primeira instância não for confirmada em segunda instância, o petista pode ainda concorrer no pleito.

Na França, o jornal Le Monde descreveu o ex-presidente como "ícone da esquerda latino-americana" e lembrou que a condenação envolve apenas um dos cinco processos nos quais Lula é réu. Segundo o diário francês, o veredito põe em risco as chances do petista participar do pleito em 2018.

O britânico The Guardian destacou a trajetória pessoal e política do ex-mandatário, "que saiu de uma infância na pobreza para se tornar um presidente por dois mandatos".

"A decisão marcou uma queda para Lula, o primeiro presidente da classe trabalhadora do Brasil, que deixou o poder há seis anos com uma taxa de aprovação de 83%", escreve o jornal. "O ex-líder sindical ganhou admiração global por políticas sociais transformadoras que ajudaram a reduzir uma desigualdade severa no maior país da América Latina."

O espanhol El País, que traz a condenação como destaque principal em sua página na internet, segue na mesma linha, classificando Lula como "o presidente mais popular do país". "Essa é a última reviravolta de uma saga que tem colocado Brasília em xeque: o retorno de Lula à arena política", avalia o jornal.

EK/ots

Leia mais