Comunidade internacional envia equipes de apoio ao Japão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 12.03.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Comunidade internacional envia equipes de apoio ao Japão

Equipes especializadas da Alemanha, Estados Unidos e Austrália estão a caminho do Japão para ajudar nos resgates e na delicada situação da usina nuclear de Fukushima, após a catástrofe que atingiu a costa leste do país.

default

Pior terremoto da história do Japão obrigou milhares a se refugiarem em abrigos

Neste sábado (12/03) partiu da Alemanha um avião com 38 profissionais de resgate, três cães farejadores e 12 toneladas de material a bordo. Devido à dramática evolução dos acontecimentos na usina nuclear japonesa de Fukushima, o voo foi atrasado em uma hora, a fim de que os peritos também fossem equipados com dosímetros, para medir radiação.

Os 38 homens e mulheres que embarcaram para o Japão fazem parte da Seeba (Unidade rápida de busca e salvamento no exterior, na sigla em alemão), a "força de reação rápida" da Defesa Civil Alemã (THW). A equipe leva consigo equipamento para localização e resgate de pessoas, geradores de energia, aparelhagem médica, tendas e alimentos, e deve permanecer pelo menos dez dias nas zonas de catástrofe.

A chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, expressou suas "condolências e solidariedade" aos afetados pelo terremoto que atingiu o Japão na sexta-feira. "Deixamos claro que estamos prontos para ajudar no que for possível", disse Ashton. Autoridades da União Europeia estão em contato com autoridades japonesas para lidar com a explosão e vazamento do reator nuclear a 240 quilômetros ao norte de Tóquio.

EUA, Austrália, Afeganistão

Japan Erdbeben Tsunami

Comunidade internacional enviou pessoal especializado para ajudar no resgate

Os Estados Unidos enviaram um porta-aviões ao Japão para ajudar nas medidas assistenciais. Na manhã deste sábado, o presidente norte-americano, Barack Obama, falou por telefone com o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, para expressar condolências e oferecer apoio. "Já enviamos um porta-aviões ao Japão e outro está a caminho. Também temos um navio a caminho das Ilhas Marianas, para prestar a assistência necessária", disse Obama.

A Austrália também ofereceu o envio de tropas de resgate, policiais e pessoal médico. "Estamos do lado do Japão e vamos fazer tudo o que for possível para ajudar", disse a primeira-ministra australiana, Julia Gillard, na madrugada deste sábado. "Esta é uma catástrofe de proporções extremas e ainda não sabemos qual a real medida da devastação. Conversei esta manhã com o primeiro-ministro em exercício Wayne Swan e ele vai convocar uma reunião do Conselho Nacional de Segurança para discutir como a Austrália pode ajudar o povo japonês."

Uma das províncias mais pobres e violentas do Afeganistão ofereceu o equivalente a 36.500 euros em ajuda para as vítimas do terremoto e do tsunami no Japão: Kandahar, no sul do Afeganistão, conhecida como o berço dos talibãs. O Japão tem sido um dos principais colaboradores na reconstrução e desenvolvimento do extremamente pobre Afeganistão.

Ajuda online

Após o terremoto, a gigante da web Google lançou um serviço de busca de pessoas afetadas pela tragédia. O serviço "Person Finder: 2011 Japan Earthquake" já reuniu mais de 52 mil registros de pessoas, que deixam mensagens em busca de amigos e parentes, ou fornecem informações a respeito de pessoas nas áreas do desastre.

A Cruz Vermelha internacional e japonesa também criou um website semelhante. A partir do Japão ou do exterior podem-se registrar nomes do site ou consultar listas, enquanto as pessoas no país podem informar a amigos e familiares que estão bem.

Na rede social Facebook, quase 3 mil pessoas já visitaram a página "Japan Tsunami 2011", enviando mensagens e vídeos impressionantes sobre o tsunami.

Japan Erdbeben Tsunami Flash-Galerie

Autoridades estimam que serão necessários vários dias para avaliar a dimensão dos prejuízos

Avaliação dos prejuízos

"O dano é tão grande que vamos precisar de muito tempo para reunir todos os dados", declarou uma autoridade policial japonesa à AFP. Autoridades locais estimam que mais de 3 mil casas foram destruídas ou arrastadas pelo tsunami. Na área afetada pelo terremoto, mais de 5,6 milhões de residências ficaram sem energia neste sábado, e mais de 1 milhão estavam sem água. As linhas de telecomunicação também foram afetadas.

O Banco do Japão disse que fará "o máximo" para assegurar a estabilidade do mercado financeiro, após o terremoto que causou um enorme transtorno a indústrias-chave do país, aumentando a preocupação com a economia japonesa.

O Banco do Japão vai realizar uma reunião nesta segunda feira e deve anunciar no mesmo dia a política a ser adotada. A Bolsa de Tóquio planeja abrir pregão normal. A gigante automotiva Toyota suspenderá as operações de todas as suas 12 fábricas. O prejuízo total segurado pode chegar a 15 bilhões de dólares, segundo informaram à Reuters analistas financeiros.

FF/dw/rtr/afp/dpa
Revisão: Augusto Valente

Leia mais

Links externos