Companhia alemã TUIfly cancela quase todos os voos | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 07.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Companhia alemã TUIfly cancela quase todos os voos

Empresa diz que tripulantes se ausentaram de última hora, alegando motivos de doença. Possível fusão com Air Berlin e Etihad gera incertezas entre os funcionários.

Avião da TUIfly

Cerca de 9 mil passageiros devem ser afetados por cancelamentos

A empresa aérea alemã TUIfly, subsidiária da operadora de turismo Tui, cancelou quase todos os seus voos desta sexta-feira (07/10). A companhia informou em comunicado que a decisão foi tomada após grande parte dos comissários e pilotos se ausentarem do trablho, alegando motivos de doença.

No total, foram cancelados 49 voos que partiriam da Alemanha e outros 49 que retornariam ao país. Em torno de 9 mil passageiros serão afetados, segundo informou uma porta-voz da empresa.

"A Tui fretou aeronaves de outras companhias aéreas para viabilizar o retorno dos turistas dos destinos de férias", afirma o comunicado da empresa. "Todos os outros voos da Alemanha, Áustria e Suíça marcados para o dia 7 de outubro foram cancelados em razão de falta de pessoal." Novos cancelamentos deverão ocorrer nos próximos dias.

A Tui disse que os tripulantes notificaram a ausência com pouca antecedência, de modo que não foi possível "informar os clientes antecipadamente e oferecer planos alternativos de viagem".

Nesta quinta-feira, 47 de 110 voos da TUIfly já haviam sido cancelados após tripulantes se ausentarem do trabalho também alegando motivos de doença. As ausências em grande número ocorrem em meio a preocupações sobre o futuro da empresa e dos 2,4 mil funcionários.

Na quarta-feira, a companhia aérea alemã Air Berlin, que também enfrenta dificuldades, anunciou que iniciaria conversações com a Tui e a empresa Etihad, sediada em Abu Dhabi, sobre uma possível fusão.

A Tui havia assegurado anteriormente que os acordos coletivos dos funcionários da TUIfly, assim com a sede da empresa em Hannover, não estariam ameaçados pelas possíveis mudanças na administração.

O presidente do sindicato alemão de pessoal de cabine Ufo, Nicoley Baublies, questionou as afirmações da empresa. Ele afirmou que a TUIfly não é capaz de garantir a segurança do quadro de funcionários uma vez que a prórpia companhia e a Air Berlin teriam dito que serão apenas acionistas minoritárias caso a fusão seja levada adiante.

RC/ap/dpa/rtr

Leia mais