Como tornar o turismo mais sustentável após a pandemia? | Conheça os destinos turísticos mais famosos da Alemanha | DW | 09.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Viagem

Como tornar o turismo mais sustentável após a pandemia?

Fortemente afetadas pelo coronavírus, agências de viagens decidem repensar o setor e promover uma "recuperação responsável". Como elas veem o futuro do turismo?

Com vista para os Alpes, pessoas relaxam em cadeiras de praia sobre a grama.

A pandemia global forçou muitos a cogitarem férias perto de casa

Os problemas causados pelo crescimento do turismo global nos últimos anos já eram evidentes: cidades superlotadas, degradação ambiental e alta poluição de CO2 por conta das viagens aéreas. No atual contexto, aumentam, portanto, os apelos por um retorno mais sustentável da indústria de turismo após a pandemia de coronavírus.

A Organização Mundial do Turismo das Nações Unidas (OMT) agora clama por uma "recuperação responsável do setor", a fim de "equilibrar as necessidades das pessoas, do planeta e a prosperidade". Isso inspirou a Feira Internacional de Turismo (ITB) anual de Berlim, que será realizada de 9 a 12 de março sob o lema "Repensar, Regenerar, Reiniciar – Turismo para um Normal Melhor". Devido à pandemia, a maior feira de viagens do mundo será realizada digitalmente pela primeira vez em sua história.

Visitantes da ITB, a maior feira de viagens do mundo, em 2016

Em 2021, a ITB, maior feira de viagens do mundo, acontecerá virtualmente pela primeira vez

Repensando a indústria do turismo

"A pandemia de coronavírus foi um momento de choque global que levou a um repensar da indústria do turismo, que sempre esteve tão acostumada ao sucesso", disse Martin Balas, do Centro de Turismo Sustentável (ZENAT) da Universidade Eberswalde para o Desenvolvimento Sustentável.

Martin Balas, pesquisador de turismo

O pesquisador de turismo Martin Balas vê a pandemia como uma oportunidade para um turismo mais sustentável

Questões como proteção climática e turismo excessivo, que já eram grandes desafios para o setor antes da covid-19, agora estão ainda mais em foco, disse Balas à DW.

A Associação Alemã de Viagens (DRV) também vê a pandemia como uma oportunidade para mais sustentabilidade na indústria.

"Viagens sustentáveis são uma tendência que existe há anos e a indústria de viagens já reagiu a isso e continuará a fazê-lo no futuro", disse Ellen Madeker, da DRV. Várias grandes agências de turismo estão preparando campanhas de conscientização destinadas a aumentar a conscientização dos viajantes sobre os impactos de suas viagens.

A gigante da indústria DER Touristik também está promovendo sua nova oferta de viagens sustentáveis na Europa, Turquia e Egito. Assim que os deslocamentos de longa distância forem novamente possíveis, será ampliada ainda mais a gama de excursões sustentáveis no geral, disse à DW Ulrike Braun, chefe de sustentabilidade da DER Touristik. "Temos uma responsabilidade como indústria de viagens. Dependemos muito da preservação dos destinos, do país e de seu povo. Essa é a base do nosso negócio", afirma.

Barco elétrico no Lago Königssee, nos Alpes de Berchtesgaden.

Ecologicamente correto: barco elétrico no Lago Königssee, nos Alpes de Berchtesgaden

No entanto, a indústria de viagens tem sido um dos setores mais afetados pela pandemia do coronavírus. De acordo com a OMT, só em 2020, o setor registrou um prejuízo de 1,3 trilhão de dólares (R$ 7,5 trilhões). Além disso, entre 100 e 120 milhões de empregos estão ameaçados em todo o mundo atualmente. Na Alemanha, gastos com viagens de férias caíram quase 40%, de acordo com um estudo recente da Associação de Pesquisa de Férias e Viagens (FUR).

Isso poderia representar um obstáculo a um retorno com foco em viagens sustentáveis, disse Madeker, da DRV. Segundo ela, os operadores turísticos em geral veem a necessidade crescente de viagens mais sustentáveis ​​e têm respondido a essa demanda. "Mas, para implementar esses conceitos e investir em infraestrutura sustentável, os negócios precisam primeiro se recuperar."

Assistir ao vídeo 05:36

Turismo sustentável na Floresta Negra

Pegada de carbono baixa: uma tendência no turismo

Na temporada passada, foi possível se ter uma ideia de como seria um turismo mais sustentável: muitas pessoas optaram por férias em seu próprio país. De acordo com a FUR, os alemães, por exemplo, fizeram cerca de 4 milhões de viagens domésticas a mais do que em 2019.

Em 2020, o número de viagens aéreas e cruzeiros caiu drasticamente, enquanto aumentou a demanda por vans, trailers e bicicletas. Diante das restrições da pandemia, muitos viajantes também optaram por alternativas mais sustentáveis ​​ao escolher sua acomodação: por razões de segurança e higiene, grande parte preferiu fazer reservas em apartamentos de férias ou acampamentos em vez de em quartos de hotéis. Com isso, eles melhoraram a pegada de carbono de suas férias – intencionalmente ou não – e reduziram o consumo de água e a produção de resíduos.

Dois ciclistas descansam sentados na margem do rio Weser.

Trajetos de bicicleta se tornaram uma alternativa popular de turismo sustentável

Devido às restrições de viagens em curso e incertezas em relação a viagens ao exterior, a temporada de férias deste ano provavelmente será semelhante. Mas se essa tendência continuará após a pandemia? O pesquisador de turismo Martin Balas não acredita nisso. Para ele, a pandemia não será capaz de mudar todo a dinâmica de viagens a longo prazo. "Mas pode ser que, no futuro, a gente prefira viajar domesticamente de tempos em tempos", disse ele.

Demanda por opções mais sustentáveis

Por enquanto, sobretudo um dilema em relação a viagens sustentáveis ​​provavelmente não será resolvido pela crise do coronavírus: muitas pessoas querem viajar de forma mais sustentável, mas não o fazem na prática.

"A questão da sustentabilidade ainda não gerou um grande ímpeto de reservas entre os clientes", confirmou Ulrike Braun, da DER Touristik. Segundo Balas, isso também se deve à falta de ofertas. Apenas 2 a 5% das ofertas de turismo na Alemanha são certificadas como sustentáveis.

Duas pessoas desfrutam da natureza ao lado de barraca em meio a montanhas num dia ensolarado

A startup MyCabin visa conectar viajantes amantes da natureza com opções de alojamento adequadas

A startup MyCabin quer mudar isso. A empresa com sede na cidade de Constança, no sul da Alemanha, conecta viajantes amantes da natureza a anfitriões apropriados. Por exemplo, um agricultor pode disponibilizar seu pasto para andarilhos e campistas. Apesar da pandemia, a fase piloto no verão europeu passado foi um grande sucesso, disse Lene Haas, da MyCabin, à DW.

A partir de abril, os clientes poderão agendar pernoites regulares no site. "Sentimos que temos a responsabilidade de repensar o turismo sustentável e enfrentar as questões atuais", disse Haas. A pandemia de covid-19, conta, promoveu uma maior conscientização sobre viagens sustentáveis. "As pessoas são praticamente forçadas a redescobrir o turismo por si mesmas e perceber o valor agregado desse tipo de viagem".

Mas mesmo com iniciativas como essas, ainda há um longo caminho a ser percorrido antes que o turismo sustentável seja a norma internacionalmente. Para que a mudança em direção a um turismo melhor possa ter sucesso no futuro, os turistas precisam não só planejar viagens mais sustentáveis, ​​como também, durante o próprio passeio, prestar mais atenção ao meio ambiente.

"A conscientização deve envolver a todos", avalia Madeker. Balas vê de forma semelhante, mas acha que a indústria deve mostrar o caminho: "Agora é a hora de definir o rumo." Caso contrário, será desperdiçada a oportunidade única de aproveitar a pandemia para tornar as viagens mais sustentáveis ​​e à prova de crises a longo prazo.

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados