Comissão Européia promete 500 milhões de euros ao Kosovo | Notícias internacionais e análises | DW | 11.07.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Comissão Européia promete 500 milhões de euros ao Kosovo

Conferência sobre Kosovo em Bruxelas reuniu 1,2 bilhão de euros para que o jovem país nos Bálcãs monte uma infra-estrutura democrática e um sistema de ensino eficiente. UE impõe condições.

default

Comissário da UE Oli Rehn e premiê kosovar Hashim Thaci

A conferência para angariar fundos para o Kosovo, nesta sexta-feira (11/07) em Bruxelas, reuniu 1,2 bilhão de euros, dos quais 500 milhões foram prometidos pela Comissão Européia e 100 milhões de euros, pela Alemanha.

Nesta quinta-feira, a diretora do programa de cooperação econômica dos EUA, Henrietta Holsman Fore, havia anunciado que os Estados Unidos pretendem liberar 255 milhões de euros para a reconstrução da infra-estrutura e de instituições. Segundo Fore, o Kosovo "dispõe de um bom plano" para o seu desenvolvimento.

Oli Rehn, comissário de Ampliação da União Européia (UE), ressaltou que a ajuda demonstra que o Kosovo "é um assunto profundamente europeu". Por outro lado, ele advertiu que o governo em Pristina "terá de prestar contas sobre cada euro que gastar".

Rehn explicou que a ajuda está condicionada a algumas responsabilidades, como a proteção dos direitos humanos, a reconstrução da economia, a garantia de uma boa conduta do governo e a preocupação com a paz e a estabilidade da região.

Garantia pessoal do primeiro-ministro

"Este é um êxito extraordinário para meu país, para população do Kosovo. Com esta ajuda, está sendo iniciado um novo capítulo na história do Kosovo", ressaltou o chefe de governo Hashim Thaci. Ele assegurou responsabilizar-se pessoalmente para que o dinheiro não caia em mãos erradas.

Questionado sobre como pretende assegurar sua distribuição nas áreas da minoria sérvia em parte ainda controladas pela Sérvia, o premiê de origem albanesa assegurou: "Não faremos diferenciação étnica". A população kosovar é de 2,1 milhões de pessoas, das quais 95% são de origem albanesa, os demais são sérvios, sintos, rom e de outras etnias.

Jahresrückblick 2008 Februar International Kosovo Unabhängig

Nova bandeira do Kosovo

Nos próximos três anos, a ajuda internacional deverá ser aplicada na ampliação da infra-estrutura, reconstrução de escolas, órgãos públicos, Justiça e da polícia. A difícil situação econômica do pequeno país balcânico fomenta a corrupção e o nepotismo.

Segundo um relatório da Comissão Européia e do Banco Mundial, até 2011 o Kosovo irá precisar de 600 milhões de euros apenas para a reconstrução e a infra-estrutura de transportes. O governo em Pristina calcula em 670 milhões de euros os gastos com a construção de escolas e a organização de Justiça, polícia e órgãos públicos.

Sérvia não reconhece independência

A conferência desta sexta-feira teve a participação da União Européia, de instituições financeiras internacionais, Estados Unidos, Noruega, Suíça e Arábia Saudita. O governo kosovar esperava reunir 1,4 bilhão de euros.

A antiga província sérvia do Kosovo esteve sob a administração das Nações Unidas desde 1999 até declarar sua independência em fevereiro de 2008. Em 15 de junho de 2008, sua Constituição entrou em vigor. Até agora, a independência foi reconhecida por 43 países. Para Belgrado e a minoria sérvia no Kosovo, a região continua sendo parte da Sérvia.

Muitos questionam as condições de subsistência do jovem Estado. O Kosovo é considerado uma das regiões mais pobres do continente europeu. Segundo um relatório do Banco Mundial, 37% da população vive abaixo do limite de pobreza, isto é, dispõe de menos de 1,50 euro ao dia para sobreviver. A cota de desemprego no país é de 40%. Desde 1998, a ex-província sérvia já recebeu ajuda no montante de 3 bilhões de euros. A moeda corrente no Kosovo é o euro.

Leia mais