Colônia tem o menor convento da Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 18.02.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Colônia tem o menor convento da Alemanha

Num prédio histórico da cidade de Colônia, três monges fundaram o menor convento beneditino da Alemanha. Ele tem tudo que outros conventos maiores têm. E convidados também são bem-vindos.

default

Pequeno convento beneditino em prédio residencial de Colônia

Conventos remetem, normalmente, ao isolamento, a muros sombrios. Geralmente, eles se situam fora da cidade. Sua localização não permite olhar a vida monástica por dentro. Estamos, no entanto, no século 21. Além disso, atrás desses muros, vivem pessoas com o pé no chão.

Como, por exemplo, três monges de Colônia que fundaram o menor convento da Alemanha no meio da cidade agitada e alegre de um milhão de habitantes. Ali, visitantes mundanos são recebidos de braços abertos, com direito a um "bem-vindos à nossa pequena comunidade".

Padre Placidus, Padre Philipp e o Abade Thomas só têm 90 metros quadrados à disposição. Mesmo assim, a chamada cela monástica não deixa de ser um verdadeiro convento. "A cela monástica é a primeira e assim a menor forma de convento beneditino", explicou o Abade Thomas. Segundo o direito eclesiástico, tal comunidade é permitida quando formada por pelo menos três monges.

Fundado em 1980

Das kleinste Kloster in Deutschland

Abade Thomas na pequena capela do apartamento

Apesar disso, a cela monástica tem tudo o que se pode encontrar num convento maior, até uma capela para as orações diárias. Uma clausura, espaço isolado do mundo exterior, não existe, todavia. Algo assim só se encontra numa abadia. Mas, para tal, são necessários pelo menos 12 frades.

Fundado com a bênção episcopal em 1980, o convento dos beneditinos poderia ter abrigado mais uma pessoa ou outra, apesar da falta de espaço no segundo pavimento do edifício histórico. Isso não aconteceu porque o convento é pouco conhecido, disse o abade.

Dia-a-dia bastante atarefado

Quem poderia supor que, em plena Südstadt, bairro no sul de Colônia conhecido por sua vida noturna, poderia se encontrar um convento? Para baladas noturnas, no entanto, os irmãos não têm tempo nem cabeça. Seu dia-a-dia é bastante atarefado. Diferentemente de outros conventos, no entanto, o despertador do pequeno convento beneditino não toca às 4h ou às 5h da madrugada. O Abade Thomas e seus irmãos podem dormir até às 7h da manhã.

Das kleinste Kloster in Deutschland

Diferentemente de outros conventos, irmãos levantam às 7h da manhã

Afinal de contas, eles vivem em um prédio habitacional, tendo que fazer concessões em respeito aos vizinhos. Com a Laudes, oração matinal, começa às 8h da manhã o dia-a-dia monástico, na capela de 15 metros quadrados do apartamento.

Em seguida, entoando um hino, os três irmãos saem em "pequena procissão" em direção à cozinha, ou, como se diria num convento maior, para o refeitório. Após as leituras à mesa durante o café da manhã, "discutimos a divisão das tarefas", ilustrou o clérigo.

À procura de um noviço

Mas, sem dinheiro, isso não seria possível, pois mesmo um convento não se financia por si próprio. Ou seja, além dos trabalhos domésticos e das atividades pastorais, os monges têm que trabalhar para pagar, por exemplo, o aluguel de 730 euros mensais.

Dessa forma, o Abade Thomas não se incomoda de limpar as escadarias todos os sábados, por 25 euros. Além das doações, é a pequena aposentadoria do Padre Placidus, irmão mais velho de 94 anos, que ajuda a completar o orçamento.

Mas, o que irá acontecer quando o Padre Placidus for chamado pelo Senhor? Essa é uma pergunta bastante preocupante para o Abade Thomas, que está à procura de um noviço. Nessa busca, idade e formação educacional são de importância secundária.

Leia mais