Clima festivo marca abertura do Encontro Econômico Brasil-Alemanha | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 25.08.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Clima festivo marca abertura do Encontro Econômico Brasil-Alemanha

Entrega do Prêmio Personalidade Brasil-Alemanha 2008 marca abertura do Encontro Econômico Brasil-Alemanha, que tem biocombustíveis e a Copa de 2014 entre os principais temas das conversas bilaterais.

default

Bittencourt e Von Faber-Castell exibem a placa em que são homenageados

O 26º Encontro Econômico Brasil-Alemanha foi aberto neste domingo (24/08) em Colônia, no oeste alemão, com a cerimônia de entrega do Prêmio Personalidade Brasil-Alemanha 2008. Do lado brasileiro, o prêmio foi concedido ao empresário Carlos Mariani Bittencourt, presidente da Associação Brasileira da Indústria Química.

Do lado alemão, o homenageado foi o conde Anton Wolfgang von Faber-Castell, presidente da Faber-Castell – cujos tradicionais lápis foram distribuídos aos convidados na entrada do local onde se realizou a cerimônia. "Eu sempre acreditei no Brasil, e agora o Brasil está em forma top", disse Faber-Castell ao receber o prêmio.

PAC é oportunidade para investir no Brasil

Saal des Gürzenichs in Köln während der Feierlichkeiten zur Auszeichnung der Deutsch-Brasilianische Persönlichkeiten des Jahres 2008

Festividade foi assistida por políticos e representantes do setor econômico do Brasil e da Alemanha

Carlos Mariani Bittencourt contou que Colônia foi a primeira cidade que visitou na Alemanha, em 1969. Desde então, acrescentou, negociações comerciais e trocas de tecnologia o levaram a estreitar as relações com o país. Hoje, a Alemanha tem ótimas oportunidades para investir no Brasil: "No âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo Lula, há uma série de projetos que oferecem grandes oportunidades de cooperação bilateral, como por exemplo a expansão de portos e a construção do trem Rio-São Paulo".

Mariani deu o tom das discussões que devem predominar no evento. Uma delas é a dos biocombustíveis. "Os investimentos na área de etanol estão aumentando e os investidores estão procurando se posicionar em relação ao tema. Há resistência, mas já existe um grande número de europeus investindo", salientou.

Know-how da Copa alemã para 2014

Além dos biocombustíveis, o embaixador do Brasil na Alemanha, Luiz Felipe de Seixas Corrêa, ressaltou a Copa do Brasil em 2014 como mais uma oportunidade para cooperação bilateral. "A Alemanha organizou a Copa que talvez tenha sido a mais perfeita de que se tem notícia. Adquiriu um know-how que já vai ser usado na África do Sul, e é muito interessante que as entidades responsáveis pela organização da Copa no Brasil também possam ter uma boa relação com a Alemanha."

As semelhanças entre o espírito brasileiro e o de Colônia também foram ressaltadas na abertura do encontro. A cidade-sede do evento faz campanha para atrair empresas brasileiras para seu território.

Colônia quer maior intercâmbio com o Brasil

"Desejo uma ofensiva brasileira em Colônia, a quarta maior cidade da Alemanha", disse a vice-prefeita da cidade, Angela Spizig. "No momento, muita coisa está acontecendo aqui no setor econômico, e acho que empresas brasileiras de médio porte, em setores como os de alta tecnologia, informática e mídia, encontrariam muitos bons parceiros aqui. A mentalidade e o temperamento de Colônia combinam muito bem com a dos brasileiros. Desejo um intenso contato e intercâmbio econômico", disse ela em alemão, para depois acrescentar algumas palavras em português: "Gosto muito dessa língua e dessa cultura. Gosto muito de vosso país".

O Encontro Econômico Brasil-Alemanha acontece todo ano, ora numa cidade brasileira, ora numa alemã. Depois da edição do ano passado em Blumenau, a próxima cidade brasileira a sediar o evento, em 2009, será Vitória.

Leia mais