China vai testar todos os 9 milhões de habitantes de metrópole | Notícias internacionais e análises | DW | 12.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

China vai testar todos os 9 milhões de habitantes de metrópole

Toda a população de Qingdao será testada para o coronavírus dentro de cinco dias após novos casos serem confirmados, encerrando período de dois meses sem transmissão local no país.

Teste de coronavírus na China

Testagens em massa como a de Qingdao já foram realizadas em outras cidades da China

As autoridades de saúde da cidade de Qingdao, no leste da China, anunciaram nesta segunda-feira (12/10) que vão testar seus mais de 9 milhões de habitantes para o coronavírus Sars-Cov-2 após novos casos serem diagnosticados na metrópole.

A cidade registrou seis novos casos de covid-19, a doença causada pelo Sars-Cov-2, e mais seis casos assintomáticos do vírus até a noite de domingo. Todos os casos têm ligação com o Hospital para Doenças Pulmonares de Qingdao e estão sendo investigados

Qingdao isolou o Hospital para Doenças Pulmonares e o departamento de emergência do hospital central da cidade. Todos os moradores da metrópole devem ser testados dentro de cinco dias, segundo as autoridades.

Qingdao é uma movimentada cidade portuária, onde estão sediadas grandes empresas, como a cervejaria Tsingtao.

A campanha de testagem em massa de Qingdao não é inédita na China, mas é a primeira em meses. A cidade de Wuhan, onde o Sars-Cov-2 foi detectado pela primeira vez, no fim do ano passado, testou toda a sua população de 11 milhões de habitantes. Testagens envolvendo milhões de amostras também foram realizadas em Pequim e Ürümqi.

As infecções diárias na China continental caíram drasticamente desde o início da epidemia. O país não reportava novos casos de transmissão doméstica há cerca de dois meses, desde meados de agosto.

A Comissão Nacional de Saúde (NHC) reportou neste domingo 21 casos de covid-19 confirmados. Apesar de o número ter sido divulgado após o anúncio dos novos casos em Qingdao, ele não inclui as infecções na cidade – não ficou imediatamente claro por quê.

O número de novos casos assintomáticos na China, que o país não conta como casos confirmados, subiu de 23 para 32 de sábado para domingo. Segundo a NHC, 29 desses casos foram importados.

O total de casos na China continental desde que o coronavírus foi detectado pela primeira vez soma agora 85.578, e o número de mortes ligadas ao patógeno é de 4.634.

O governo chinês removeu a maior parte das restrições econômicas e de viagem que haviam sido impostas devido ao coronavírus, mas ainda monitora viajantes e visitantes de prédios públicos. Quem chega do exterior ainda tem que ficar de quarentena por 14 dias.

Centenas de milhares de pessoas viajaram pelo país na semana passada por ocasião dos feriados da Semana Dourada.

LPF/rtr/ap/afp