Chefe de vacinas da EMA vê relação entre AstraZeneca e coágulos sanguíneos | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 06.04.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Chefe de vacinas da EMA vê relação entre AstraZeneca e coágulos sanguíneos

Marco Cavaleri afirma estar claro que há uma associação entre casos muito raros de trombose e a aplicação da vacina da AstraZeneca.

O responsável por estratégia de vacinas da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), farmacologista Marco Cavaleri, afirmou que há um vínculo claro entre o uso da vacina da AstraZeneca e casos muito raros de trombose.

"Na minha opinião agora podemos dizer que está claro que há uma associação com a vacina. Porém não sabemos o que causa essa reação", declarou Cavaleri numa entrevista publicada nesta terça-feira (06/04) no jornal italiano Il Messaggero.

"Agora está cada vez mais difícil dizer que não existe um relação de causa e efeito entre a vacinação com a AstraZeneca e casos muito raros de coágulos sanguíneos", acrescentou.

Cavaleri indicou que a EMA deverá em breve confirmar oficialmente que existe essa relação de causa e efeito entre a vacina e os coágulos.

Após a declaração de Cavaleri, a EMA informou que ainda está analisando se a vacina da AstraZeneca realmente pode causar coágulos sanguíneos. O comitê de segurança da Agência Europeia de Medicamentos "ainda não chegou a uma conclusão e a revisão está em andamento", disse o órgão em comunicado nesta terça-feira.

Segundo a EMA, uma coletiva de imprensa será convocada quando uma decisão sobre o assunto for tomada, o que deve acontecer na quarta ou quinta-feira.

Atualmente, aposição oficial da EMA é que a vacina da AstraZeneca é segura e que não há provas de que o uso dela leve à formação de coágulos sanguíneos.

Mesmo assim, vários países europeus limitaram o uso da vacina dessa fabricante, entre eles a Alemanha, onde pessoas com menos de 60 anos não devem ser vacinadas com o imunizante.

No Reino Unido, onde a vacina da AstraZeneca foi largamente utilizada numa bem-sucedida campanha de vacinação, as autoridades registraram 30 casos de trombose entre 18 milhões de pessoas vacinadas.

Na Alemanha, os casos também são raros. Até o fim de março, o Instituto Paul-Ehrlich, centro de referência para a vacinação na Alemanha, havia detectado apenas 31 casos de suspeita trombose em pessoas que foram imunizadas com a vacina da AstraZeneca. Até a data, 2,7 milhões de pessoas já haviam recebido a vacina da AstraZeneca no país. 

as (Efe, AFP)