Casal nomeia trigêmeos ″Jerusalém″, ″Capital″ e ″Palestina″ em protesto contra Trump | Notícias internacionais e análises | DW | 04.02.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Oriente Médio

Casal nomeia trigêmeos "Jerusalém", "Capital" e "Palestina" em protesto contra Trump

Palestinos escolheram nomes com o fim de atacar reconhecimento de Jerusalém como capital israelense por parte do presidente americano. Segundo a mãe, porém, na região as fraldas e o leite são problemas maiores.

Decisão de Trump sobre Jerusalém em dezembro de 2017 enfureceu numerosos palestinos

Decisão de Trump sobre Jerusalém em dezembro de 2017 enfureceu numerosos palestinos

Há muitas formas de expressar discordância com um anúncio político que se considera errado. Na Faixa de Gaza, em casal deu a seus trigêmeos os nomes "Jerusalém", "Capital" e "Palestina", em protesto contra a decisão americana de reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

"Graças a Deus tive trigémeos e pudemos responder à decisão do [presidente norte-americano Donald] Trump", disse Islam al-Sukili, 25 anos, a mãe dos meninos Jerusalém e Palestina, e da menina Capital. A família palestina vive em Khan Yunes, no sul de Gaza.

Os bebês nasceram duas semanas após o anúncio de Trump, em 6 de dezembro de 2017, de que os Estados Unidos reconheceriam Jerusalém como capital de Israel. A iniciativa, unilateral e na contramão da diplomacia americana, provocou a ira dos palestinos, que reivindicam Jerusalém Oriental como a capital do Estado a que aspiram.

Israel, que considera Jerusalém sua capital indivisível, ocupou a zona oriental em 1967 e a anexou em 1980. Parte da comunidade internacional condena como ilegal a anexação de Jerusalém Oriental, e defende que o status final da cidade, considerada santa pelas religiões judaica, cristã e islâmica, seja estabelecido em negociações entre israelenses e palestinos.

"A decisão de Trump não tem qualquer valor, Jerusalém é a nossa capital eterna", declarou o pai dos trigêmeos, o palestino Nidal Sukili, de 30 anos, que está desempregado. Entretanto, num território atingido por guerras e pela pobreza, alvo de bloqueio por parte de Israel e do Egito, o problema "são as fraldas e o leite", rebateu a mãe.

AV/afp,lusa

---------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais