Cancelamento de prêmio a Putin marca reunião entre russos e alemães | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 17.07.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Cancelamento de prêmio a Putin marca reunião entre russos e alemães

Controvérsia sobre o prêmio Quadriga, que deveria ser entregue a Vladimir Putin, deverá ser um dos temas do encontro entre Angela Merkel e Dimitri Medvedev, durante a reunião entre os governos da Alemanha e da Rússia.

Putin deverá ser tema entre Merkel e Medvedev

Putin deverá ser tema do encontro de Merkel com Medvedev

A 13ª reunião regular de consultas entre os governos da Alemanha e da Rússia em Hannover a partir deste domingo (17/07) estava, na realidade, programada para ser um divisor de águas. Afinal, espera-se que neste ano a Rússia entre no rol dos dez maiores parceiros comerciais da Alemanha. E, após o abandono alemão da energia nuclear, a Rússia se torna cada vez mais importante como fornecedora de gás natural.

No entanto, quando a chanceler federal alemã, Angela Merkel, e o presidente russo, Dimitri Medvedev, se encontrarem para um jantar a portas fechadas na capital do estado alemão da Baixa Saxônia nesta segunda-feira, eles deverão falar, a princípio, de alguém que não está presente – Vladimir Putin.

O motivo é uma discussão em torno do prêmio Quadriga, que deveria ser entregue este ano ao primeiro-ministro russo no Dia da Unidade Alemã, por seus "méritos pela confiança e estabilidade das relações russo-alemãs".

O júri do prêmio concedido desde 2003 a personalidades da política, cultura e economia voltou atrás e cancelou o prêmio em 2011, após vários membros do conselho de curadores da associação Werkstatt Deutschland, responsável pela condecoração, e antigos agraciados com o Quadriga, como o artista dinamarquês Olafur Eliasson, terem deixado a associação ou devolvido o prêmio recebido.

Honraria retirada

No sábado, o conselho de curadores justificou sua mudança de posicionamento com a preocupação devido "às fortes críticas na mídia e, em parte, na área política". Um porta-voz da associação acrescentou que "neste ano não haverá o prêmio Quadriga" e que Putin, que já havia confirmado presença na cerimônia de entrega do prêmio, fora informado de que ela foi cancelada.

Putin e esposa Ludmilla: ele já recebeu várias outras honrarias, disse porta-voz

Putin e esposa Ludmilla: ele já recebeu várias outras honrarias, disse porta-voz

Ainda no sábado, o governo russo respondeu com incompreensão pelo fato de Putin não receber o prêmio este ano. Para acalmar os ânimos no contexto da reunião de consultas russo-alemã, um porta-voz de Putin se apressou em assegurar que a decisão não teria nenhuma influência no clima das conversas em Hannover.

O porta-voz falou ainda de um caos dentro do júri da premiação e que Putin já recebera diversas honrarias internacionais que provam que ele seria um político de grande renome mundial. No entanto, para observadores, a retirada do prêmio de Putin mostra o antagonismo dos alemães diante da Rússia.

Segundo a agência de notícias Reuters, por um lado, a simpatia dos alemães na luta pelo poder na Rússia tende claramente a favor de Medvedev, devido a sua política aberta a reformas. Por outro lado, a postura dos alemães em geral em relação aos russos varia entre o medo da dependência, a tentativa de aproximação, e o imenso potencial de negócios visto pela área econômica.

Perda de imagem

Diálogo de São Petersburgo foi em Munique há dois anos

Diálogo de São Petersburgo aconteceu em Munique há dois anos

Para o especialista em Alemanha na Academia de Ciências de Moscou, Vladislav Belov, a retirada do prêmio Quadriga a Putin representa uma perda de prestígio para o primeiro-ministro russo. "Para Putin, é uma afronta que prejudica sua imagem", declarou em Moscou o cientista político, que criticou duramente o conselho de curadores alemão responsável pelo prêmio Quadriga.

Quanto às relações entre os dois países, Belov não acredita que elas sofrerão qualquer tipo de dano. "As relações são firmes e boas", afirmou o cientista político.

Diálogo de São Petersburgo

Além do tema Putin, em seu encontro, Merkel e Medvedev deverão conversar, entre outros, sobre a situação no Oriente Médio e Belarus, como também sobre contatos econômicos mais próximos. Diversos ministros de ambos os países também estarão presentes às reuniões.

Acompanhando as conversações governamentais, se inicia neste domingo em Wolfsburg, próximo a Hannover, o fórum de discussões Diálogo de São Petersburgo. Durante três dias, representantes russos e alemães da Igreja, sociedade, economia, cultura e política se encontram para trocar ideias e aprofundar a cooperação bilateral.

O Diálogo de São Petersburgo surgiu de uma iniciativa do antigo presidente russo Vladimir Putin e do ex-chanceler federal alemão Gerhard Schröder. O primeiro encontro aconteceu em abril de 2001, em São Petersburgo, e deu origem ao nome do fórum, que acontece todos os anos numa locação diferente.

CA/dpa/dw/rtr
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais