Campanha de Trump diz que pedirá recontagem em Wisconsin | Cobertura especial sobre as eleições nos Estados Unidos | DW | 04.11.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Eleições nos EUA

Campanha de Trump diz que pedirá recontagem em Wisconsin

Em desvantagem, presidente passa a divulgar suspeitas de fraude, sem apresentar provas, em estado-chave da disputa, que segue acirrada.

O coordenador da campanha de Donald Trump afirmou nesta quarta-feira (04/11) que pretende pedir a recontagem dos votos no estado de Wisconsin, antes mesmo antes da contagem ser concluída. Trump está em leve desvantagem no estado. 

Com 98% das urnas apuradas, o democrata Joe Biden está à frente por 0,6 ponto percentual.  A rede CNN, por exemplo, já apontou Biden como o vencedor no estado.

Dez votos no Colégio Eleitoral estão em jogo em Wisconsin. Um candidato precisa de 270 para vencer. No momento, o placar está 227 para Biden e 213 para Trump, segundo o New York Times

"Há suspeitas de irregularidades em diversos condados de Wisconsin, o que levanta sérias dúvidas sobre a validade dos resultados", afirmou Bill Stepien, o coordenador da campanha de Trump, sem especificar que irregularidades seriam essas.

Pelo Twitter, a comissão eleitoral de Wisconsin, afirmou que está sendo "completamente transparente" sobre a forma com que os votos estão sendo contados.

Nas últimas horas, Trump tem espalhado mensagens para levantar dúvidas sobre a lisura do processo eleitoral nos EUA. Pelo Twitter, o presidente disse achar "muito estranho" que a vantagem que ele chegou a manter inicialmente sobre Biden em alguns estados tenha se dissolvido conforme a apuração avançou.

Menos de uma hora depois, o Twitter marcou a mensagem como conteúdo duvidoso: "Alguns ou todos os conteúdos compartilhados neste tuíte são contestáveis e podem ter informações incorretas sobre como participar de uma eleição ou de outro processo cívico", diz o alerta. Mais cedo o Twitter também já havia sancionado outra publicação de Trump que acusava, sem provas, que a eleição estava sendo fraudada.

"Estamos muito por cima, mas eles estão tentando roubar a eleição. Nunca vamos deixar que eles façam isso. Votos não podem ser depositados depois que as urnas são fechadas!", escreveu o republicano.

Dos 50 estados, sete ainda não concluíram a apuração e seguem sem um vencedor definido: Alasca, Nevada, Carolina do Sul, Michigan, Wisconsin, Pensilvânia e Geórgia. Combinados, eles concentram 86 votos no Colégio Eleitoral.

JPS/ots

Leia mais