Brasileiros terão que pagar taxa para entrar na União Europeia | Notícias internacionais e análises | DW | 05.07.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Brasileiros terão que pagar taxa para entrar na União Europeia

Segundo novas regras aprovadas pelo Parlamento Europeu e que devem entrar em vigor em 2021, turistas devem solicitar e pagar por autorização via internet. Objetivo é evitar riscos à segurança e imigração ilegal.

Aeroporto de Guarulhos

Autorização deverá ser solicitada antes da viagem e terá validade de três anos

A partir de 2021 turistas brasileiros terão que pedir uma autorização e desembolsar 7 euros (cerca de 32 reais) para entrar nos países da União Europeia (UE), segundo novas regras aprovadas nesta quinta-feira (05/07) pelo Parlamento Europeu, em Bruxelas.

A cobrança será realizada através do Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (Etias, na sigla original em inglês), como foi denominado o novo serviço. 

A taxa passará a valer em 2021 para visitantes de países que não precisam de visto para a zona Schengen. Atualmente, cidadãos de 62 países, incluindo o Brasil, podem entrar na UE sem visto por até 90 dias e devem ser afetados pela cobrança. 

Além do uso para fins comerciais e de turismo, o novo sistema permitirá que as pessoas visitem os países da UE por motivos médicos e de trânsito.

O documento deverá ser solicitado pela internet e terá validade de três anos. Menores de 18 e maiores de 70 anos não precisarão pagar a taxa. Brasileiros que tenham passaportes de países europeus também estão isentos da cobrança. 

O sistema eletrônico vai recolher dados pessoais como o nome, o tipo de documento de viagem, os dados biométricos (uma combinação de quatro impressões digitais e a imagem facial) e data e local de entrada e de saída e possíveis recusas de entrada. Serão também feitas uma série de perguntas básicas relacionadas com os antecedentes criminais e a presença em zonas de conflito.

Assistir ao vídeo 02:01

Entenda o Acordo de Schengen

Os 26 países europeus que fazem parte do Espaço Schengen são: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia e Suíça. O Reino Unido não faz parte do Espaço de Schengen, então a cobrança não será aplicada para turistas que pretendem visitá-lo.

Questão de segurança

A eurodeputada húngara Kinga Gál, relatora do projeto, afirma que a nova exigência não deve ser um empecilho para viajantes. Após aprovação das novas regras, por 494 votos a favor, 115 contra e 30 abstenções, ela ressaltou que o objetivo principal é garantir a segurança na região. 

"O Etias vai preencher a lacuna de informação existente sobre os viajantes sem visto, avaliando se representam algum tipo de risco em relação à segurança, à migração ilegal ou a epidemia", disse a parlamentar. 

"Este novo sistema contribuirá significativamente para reforçar a segurança dos cidadãos da UE. É, portanto, um passo importante em direção a sistemas de informação mais fortes e inteligentes para fronteiras e segurança", acrescentou.

Na sequência da luz verde do Parlamento, a legislação terá de ser formalmente adotada pelo Conselho Europeu e depois publicada no Jornal Oficial.

HP/ebc

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados