Brasileiros são destaque na mostra Panorama do Festival de Cinema de Berlim | Cobertura especial sobre o Festival de Cinema de Berlim | DW | 09.02.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Berlinale

Brasileiros são destaque na mostra Panorama do Festival de Cinema de Berlim

Documentário 'Olhe para mim de novo' e estreia internacional do novo filme de Cao Hamburger 'Xingu' fazem parte da Panorama, importante mostra do festival. Dois curtas-metragens brasileiros também estão na Berlinale.

default

Xingu faz sua estreia internacional na Berlinale 2012

Em 2012, o Brasil certamente não irá receber o Urso de Ouro, como o fez em 2008 com Tropa de Elite e em 1998 com Central do Brasil. Nenhum filme brasileiro foi selecionado para a competição oficial do Festival de Cinema de Berlim este ano.

A única chance de chegar pertinho de um dos prêmios mais cobiçados do cinema mundial é Tabu, filme do diretor português Miguel Gomes com coprodução brasileira.

Mesmo assim, o Brasil tem razões para comemorar. Além de diversos filmes que serão exibidos em sessões para o mercado internacional, quatro filmes brasileiros, dois longas e dois curtas, fazem parte da seleção oficial da Berlinale, como é chamado na Alemanha o Festival de Cinema de Berlim.

Pequenos grandes filmes

Uma garota que não gosta dos próprios pés. Teté é a personagem principal de L, curta de Thais Fujinaga, que se inspirou nos conflitos e complexos da própria adolescência para contar a história de sua personagem.

Berlinale 2012 Filmstill Still Olhe pra mim de novo Look At Me Again

Cena do documentário 'Olhe para mim de novo'

O filme teve êxito em festivais no Brasil, levando os Candangos de melhor filme e melhor direção no Festival de Brasília, além de prêmios no Festival Latino-americano de Havana e no Festival de Mar del Plata, na Argentina.

O curta documentário Licuri Surf do paulista Guile Martins faz sua estreia internacional na mostra principal de curtas do festival. O filme nos leva a uma jornada pelo universo de dois índios surfistas. Na busca pela onda perfeita eles se aventuram em lugares e situações pouco convencionais para quem pratica o esporte.

Questionar a normalidade

Dirigido por Claudia Priscilla e Kiko Goifmann, o documentário Olhe para mim de novo acompanha o transexual masculino Sillvyo Luccio em sua viagem pelo interior do Nordeste brasileiro. No olhar dos diretores, a jornada de volta ao passado religioso e cheio de preconceitos mostra um vibrante retrato de um ser humano que sem perceber quebrou paradigmas sociais e sexuais.

Segundo Wieland Speck, diretor da Panorama, o filme é um retrato revelador de pessoas diferentes e toca em temas como diferenças sociais, conflitos de geração e levanta pontos importantes para a mostra.

"Questionar a normalidade, a conformidade e as convenções é uma das grandes questões da Panorama. Ao mesmo tempo que mantêm as pessoas unidas, esses tópicos muitas vezes as deixam enjauladas. Essas questões e análises são temas que procuro nos filmes que seleciono", declarou Speck à DW Brasil.

Orgulho brasileiro

"Aprender sobre o passado colonial brasileiro é uma grande descoberta para um europeu. Há uma pressão muito grande para explorar cada centímetro do mundo. Quando a Europa não era mais suficiente, eles foram atrás de um Novo Mundo e quando não havia mais colônia, isso aconteceu dentro do próprio Brasil", disse o diretor da Panorama ao se referir à Xingu, filme de Cao Hamburger, que faz sua estreia internacional no festival.

Berlinale 2009 Wieland Speck Leiter Panorama

Wieland Speck, diretor da mostra Panorama

O filme relata a história dos célebres irmãos Villas-Bôas, três irmãos que fizeram uma expedição ao coração do Brasil em 1943. Encantados com a riqueza social e cultural que veem, eles descobrem que suas verdadeiras vocações é proteger as populações do Xingu.

"É fascinante como esses irmãos, ao entrarem em contato com as tribos, perceberam que você pode acabar com o que vê ou que o mundo tem que ser apreciado e protegido. O que eles criaram foi mais que uma reserva e sim a preservação de uma parte única do mundo, algo do qual o Brasil pode se orgulhar", celebrou Wieland Speck.

Para ele, o Brasil tem produzido grandes filmes nos últimos anos, por isso é sempre constante a presença na competição oficial e na mostra Panorama. "Xingu e Olhe para mim de novo são perfeitos para o programa. Não trabalho com um tema, mas cada ano, encontro um ponto comum entre os filmes que escolho. Migração e gênero são tendências muito fortes na seleção deste ano e minhas escolhas brasileiras não poderiam ser mais apropriadas", concluiu.

Autor: Marco Sanchez
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais