Brasil já tem oito casos confirmados de coronavírus | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 05.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Brasil já tem oito casos confirmados de coronavírus

Rio de Janeiro e Espírito Santo confirmam suas primeiras ocorrências de covid-19, enquanto São Paulo registra os dois primeiros casos de transmissão local do país. Autoridades apuram mais de 600 suspeitas de infecção.

Pessoas com máscaras no aeroporto de São Paulo

Seis dos oito pacientes confirmados no país foram contaminados durante viagens ao exterior

O número de infecções pelo novo coronavírus mais do que dobrou em apenas um dia no Brasil, informou o Ministério da Saúde na tarde desta quinta-feira (05/03).

O país já tem oito casos confirmados em três estados – seis em São Paulo, um no Espírito Santo e outro no Rio de Janeiro. Há outros 636 casos suspeitos, enquanto 378 foram descartados.

Em São Paulo, foram confirmados ainda os dois primeiros casos de transmissão direta dentro do país – até então, todos os pacientes haviam sido contaminados durante viagens ao exterior.

Segundo o Ministério da Saúde, esses dois pacientes tiveram contato com a primeira pessoa diagnosticada com o vírus no país, um homem de 61 anos que mora em São Paulo e esteve na Itália entre 9 e 21 de fevereiro.

Logo após retornar do país europeu, ele participou de um almoço com outras 30 pessoas, que passaram a ser monitoradas pelas autoridades de saúde. Um dos dois pacientes confirmados em São Paulo nesta quinta-feira é parente dele, e o outro é um conhecido.

Já o caso confirmado no Espirito Santo é de uma mulher de 37 anos com passagem recente pela Itália, país que vive o pior surto de covid-19 na Europa.

O estado do Rio também confirmou seu primeiro caso nesta quinta. A Secretaria Estadual de Saúde deve fazer uma coletiva de imprensa durante a tarde para fornecer mais detalhes.

Há ainda um nono caso em observação. As autoridades aguardam o resultado da contraprova de um teste que apresentou resultado positivo no Distrito Federal. O caso em questão foi detectado por um laboratório particular e será avaliado pelo Laboratório Central de Goiás.

Ao todo, cinco novos casos foram confirmados no país nesta quinta-feira, sendo um pela manhã –  uma menina de 13 anos que mora em São Paulo e esteve na Itália – e outros quatro durante a tarde.

A adolescente contaminada retornou da Europa no último domingo e foi atendida na Beneficência Portuguesa, na capital paulista, na terça-feira. O hospital coletou amostra para um primeiro exame, realizado pelo Laboratório Fleury, e um teste de contraprova feito pelo Instituto Adolf Lutz confirmou o resultado.

Primeiramente, o governo havia dito que o registro não seria listado como caso confirmado por não preencher a definição da doença covid-19, já que a menina não apresenta sintomas.

"Segundo critérios técnicos, embora tenha confirmado a presença do vírus, um portador assintomático não cumpre a definição de caso, o que incluiria febre associada a mais um sintoma respiratório. Portanto, esse não será somado aos casos confirmados", dissera a pasta em nota.

Contudo, após reunião com especialistas, o ministério voltou atrás e decidiu confirmar o caso. Além de o teste ter dado positivo para o vírus e a adolescente ter estado em uma área de alta transmissão, a mudança de posição se deveu ao fato de a paciente ter tomado remédios que podem ter escondido os sintomas e à possibilidade de ela ainda vir a apresentá-los.

Em nota mais cedo, a pasta informou que estuda a infecção assintomática em conjunto com as secretarias estadual e municipal de Saúde de São Paulo. "Outras análises estão sendo realizadas, que devem mostrar situações como carga viral e potencial de transmissão, supressão de sintomas por uso de medicamentos e histórico dos familiares que a acompanharam na viagem", diz o texto.

Segundo a imprensa brasileira, a adolescente esteve em Milão e na região de Dolomitas, perto da fronteira com a Áustria. Ali, ela foi internada em um hospital por uma lesão no joelho, onde pode ter ingerido medicamentos que esconderam os sintomas de covid-19.

Não há recomendação para que pessoas assintomáticas sejam testadas para o coronavírus, portanto não ficou claro por que a menina passou pelos exames. Possivelmente tenha sido porque ela esteve internada em área de alta transmissão ou porque os testes eram necessários para determinados procedimentos médicos futuros.

O terceiro caso de coronavírus no Brasil havia sido confirmado na quarta-feira – um paciente colombiano de 46 anos, que também mora em São Paulo. Ele viajou recentemente para a Europa, com passagens pela Itália, Alemanha, Espanha e Áustria.

Os dois primeiros casos brasileiros, confirmados no fim de fevereiro, são homens de 32 e 61 anos, ambos residentes em São Paulo e que também estiveram na Itália recentemente.

Em todo o mundo, o vírus já infectou mais de 95 mil pessoas, e o número de mortes ligadas à doença ultrapassou 3.200, chegando a mais de 80 países e territórios até esta quinta-feira.

A doença se alastra atualmente com mais rapidez no exterior do que na China, epicentro do surto, onde 31 novas mortes e 139 casos foram confirmados nesta quinta. A cifra no país asiático é agora de 3.012 mortes e mais de 80 mil infecções.

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais