Bomba em Nova York foi ato de terrorismo, diz governador | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 18.09.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Bomba em Nova York foi ato de terrorismo, diz governador

Mandatário afirma não haver, porém, evidências que vinculem a explosão ao terrorismo internacional e diz que todos os 29 feridos receberam alta. "Tivemos muita sorte que não houve fatalidades", acrescenta.

Andrew Cuomo (d) visita a área atingida

Andrew Cuomo (d) visita a área atingida

O governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, disse neste domingo (18/09), que a explosão ocorrida no sábado na cidade foi um "ato de terrorismo", mas que ainda não há evidências que a vinculem ao terrorismo internacional. "Uma alternativa é especular ou formular hipóteses, e outra opção é esperar os fatos e começar a partir daí. Não seria razoável que eu me pusesse a especular sobre algo que ainda não conhecemos", disse.

O governador acrescentou que, não importa quem forem os responsáveis por colocar as duas bombas em Manhattan, as autoridades vão encontrá-los e levá-los à Justiça. Ele disse que ordenou um aumento do efetivo de segurança nas ruas da cidade, ampliado em mil agentes "por precaução".

Governador Cuomo e prefeito De Blasio estiveram no local da explosão

Governador Cuomo e prefeito De Blasio estiveram no local da explosão

Segundo as autoridades, todos os 29 feridos já receberam alta e estão bem. A maioria teve ferimentos leves. "Tivemos muita sorte que não houve fatalidades", disse o governador, que visitou a região atingida ao lado do prefeito de Nova York, Bill de Blasio.

O prefeito disse que as autoridades ainda não sabem quem fabricou as bombas, quem as posicionou e nem os motivos da ação. Um segundo artefato foi encontrado distante poucas quadras do local da explosão, no bairro de Chelsea.

O primeiro dispositivo explodiu na rua 23, entre a Sexta Avenida e a Sétima Avenida, por volta das 20h30 (horário local). Aparentemente trata-se de uma bomba de fabricação que foi colocada dentro de um tonel de lixo, perto de uma residência para cegos.

O segundo dispositivo foi encontrado dentro de uma sacola plástica na rua 27, também entre a Sexta Avenida e a Sétima Avenida, e aparenta ser uma panela de pressão com cabos e um telefone celular. O artefato lembra a panela de pressão usada no atentado à Maratona de Boston, em 2013. Cuomo disse que as duas bombas aparentam ser semelhantes na construção.

Policiais isolaram a região atingida, em Manhattan

Policiais isolaram a região atingida, em Manhattan

A explosão ocorreu horas antes que comecem a chegar à cidade quase cem governantes que participarão, a partir da segunda-feira, de uma cúpula organizada pela ONU e do debate de alto nível da Assembleia Geral das Nações Unidas.

Entre as personalidades presentes figura o presidente americano, Barack Obama, que chega à cidade neste domingo. Uma fonte oficial da Casa Branca divulgou que Obama já foi informado sobre a explosão, cujas causas "continuam a ser objeto de investigação".

AS/ap/efe/lusa/dpa

Leia mais