Blatter acena com a possibilidade do uso da tecnologia na arbitragem | Fique informado sobre tudo o que acontece na Copa do Mundo | DW | 29.06.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Blatter acena com a possibilidade do uso da tecnologia na arbitragem

Presidente da Fifa disse em entrevista que, com os erros de arbitragem que estão acontecendo na Copa do Mundo, "seria loucura não trazer de volta à tona o tópico da tecnologia". Ideia é colocar um chip dentro da bola.

default

Blatter está preocupado com os erros de arbitragem

Joseph Blatter, presidente da Fifa, considerou nesta terça-feira (29/06) a utilização de recursos tecnológicos para auxiliar a arbitragem no futebol. As declarações se baseiam em erros que aconteceram nas oitavas de final da Copa do Mundo. A Inglaterra não teve um gol validado a seu favor num lance em que a bola claramente cruzou a linha. Já o México sofreu um gol da Argentina com o atacante Carlos Tévez impedido.

"Com as experiências que tivemos até o momento nesta Copa do Mundo, seria loucura não trazer de volta à tona o tópico da tecnologia em julho, em Cardiff", disse Blatter. Nos 21 e 22 de julho, o Conselho Internacional de Futebol (Ifab, na sigla em inglês), órgão competente da Fifa, fará na capital galesa uma de suas reuniões periódicas para rever as regras do esporte.

Em princípio, o presidente da Fifa acionava sempre seu assessor de imprensa e ele mesmo ficava mudo. Mas depois dos erros capitais da arbitragem e a consequente discussão, ele se viu obrigado a tomar uma posição publicamente.

Com isto, Blatter acalmou inicialmente os ânimos, mas nada aconteceu ainda – e o próprio Blatter também não mudou sua posição. É sabido que ele é contra a influência da tecnologia no futebol – e é apoiado nesta posição pela maioria dos dirigentes mais velhos e conservadores do futebol. O presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB, na sigla em alemão), Theo Zwanziger, sustenta esta posição.

NO FLASH Nicht gezähltes Tor England gegen Deutschland

Gol não validado da Inglaterra contra a Alemanha

Uso de vídeos?

O debate não será tão amplo quanto muitos torcedores gostariam – uma pesquisa antes da Copa apontou que 70% deles são a favor do uso de tecnologia para auxiliar as decisões da arbitragem.

"O único princípio que vamos trazer de volta à discussão é a tecnologia da linha do gol", adiantou o dirigente. No passado, já chegou a ser testada uma bola equipada com um chip, que comunicaria ao árbitro se ela cruzou ou não a linha. Apesar dos bons resultados, o Ifab não aprovou seu uso.

A prova de vídeo é outra sugestão para diminuir os erros de arbitragem, mas ainda não agrada aos dirigentes do futebol. Em outros esportes como hóquei no gelo, futebol americano e esqui alpino, ela já funciona bem há tempos. Até mesmo o conservador Wimbledon aceitou o recurso, há muito adotado no tênis.

No entanto, os próprios especialistas não são unânimes quanto a se isto fornece o ângulo ideal para rever os lances. E há outro problema, que o próprio Blatter aponta. "Futebol é um jogo que nunca para. No momento em que houver discussão se uma bola entrou ou não, ou se haveria uma oportunidade de gol, damos a um time a possibilidade de chamar replays uma ou duas vezes, como se faz no tênis?", questionou o suíço.

Tennis Wimbledon Hawk-Eye Kamera

Uso do recurso eletrônico no torneio de tênis de Wimbledon

O dirigente disse ainda que falou com as federações de México e Inglaterra e pediu desculpas pelos erros da arbitragem, mas ressaltou: "isto é a única coisa que eu posso fazer".

Soluções possíveis

Independentemente de Blatter, não se deve esperar uma solução rápida. A questão tecnológica já esteve várias vezes em pauta no também muito conservador conselho de regras, sem que algo tenha mudado de verdade.

O grande problema em questão é o fato de que a Fifa pleitear condições iguais para seus 200 membros. Dificilmente se poderia instalar uma solução técnica congruente, ainda que seja só para a divisão principal de cada país membro.

Por isto, a ideia que ganha mais força é o posicionamento de mais dois auxiliares, que ficariam atrás dos gols. Esta experiência já está sendo feita em jogos da Liga Europa, da Liga dos Campeões da Europa e das Eliminatórias para a Eurocopa.

Tema divide opiniões

Mesmo entre os jogadores, não há um consenso sobre qual seria a melhor solução para reduzir os erros de arbitragem.

"Eu sou a favor de que se coloque um chip na bola ou que se instale uma câmera no gol para se ter certeza em decisões litigiosas. Isto é comum há anos no hóquei no gelo e no futebol americano. Por que o futebol deve abrir mão disto?", argumenta o atacante alemão Miroslav Klose.

Há, no entanto, quem discorde dentro da própria seleção alemã. "As emoções fazem parte do futebol. E decisões erradas haverá sempre, mas no fim tudo se ajusta novamente. Eu acho que no futebol deve continuar havendo emoção e não pode entrar tecnologia demais", pensa o meio-campista Sami Khedira.

TM/dw/sid/afp

Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais