1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Joe Biden
Após meses de incentivos à vacinação, presidente americano vem culpando negacionistas por aumento de casos de covid-19 no paísFoto: Susan Walsh/AP/picture alliance
SaúdeEstados Unidos

Biden pede que empresas exijam vacinação de funcionários

8 de outubro de 2021

"Exija que seus funcionários se vacinem. Com as vacinações, vamos vencer essa pandemia", disse presidente dos EUA, que também elogiou firmas que já estão exigindo comprovante de vacinação, como a Disney.

https://www.dw.com/pt-br/biden-pede-que-empresas-dos-eua-exijam-vacina%C3%A7%C3%A3o-de-funcion%C3%A1rios/a-59453133?maca=bra-rss-br-all-1030-rdf

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, declarou nesta quinta-feira (07/10) que mais empresas do país deveriam obrigar seus empregados a se vacinarem contra a covid-19, classificando a medida como vital para apressar o fim da pandemia e impulsionar a economia.

"Peço que mais empregadores ajam", disse Biden. "Minha mensagem é: exija que seus funcionários se vacinem. Com as vacinações, vamos vencer essa pandemia. Sem elas, podemos enfrentar meses intermináveis de caos nos hospitais, prejuízos econômicos e ansiedade nas escolas".

Em setembro, o presidente americano ordenou que todos os trabalhadores federais e contratados pelo governo se vacinem, e que empregadores privados com 100 ou mais trabalhadores exijam que estes estejam vacinados até 8 de dezembro, ou no mínimo sejam testados semanalmente. Essa ordem envolve 100 milhões de cidadão, cerca de dois terços da força de trabalho no país.

 

Biden reforçou o pedido em visita à construção de um futuro centro de dados da Microsoft, próximo à cidade de Chicago. Ele citou companhias, como a United Airlines, que fixou outubro como prazo para seus funcionários estarem totalmente vacinados, como primeira grande empresa aérea do a tomar essa decisão. Ele também elogiou outras, como a Disney, a rede de farmácias Walgreens e a Microsoft, que adotaram medidas similares

Após um sucesso inicial, o ritmo de vacinação no país permanece estagnado, e não por falta de vacinas, como ocorreu no Brasil no primeiro semestre e em outros países. Diversas autoridades locais chegaram a lançar premiações e oferta de brindes para atrair a população a se imunizar.

Após meses de incentivos à vacinação, o chefe de Estado americano vem culpando os negacionistas da pandemia pela estagnação dos números de vacinação e pelo aumento de casos de covid-19. Nos EUA, 65% da população já recebeu a primeira dose de imunizante e 56% já completaram o ciclo vacinal.

A pandemia já provocou 710 mil mortes nos EUA. Em números absolutos, é o país com mais mortes por covid-19. Desde o início da crise, mais de 44 milhões de americanos testaram positivo para a doença.

jps/av (Reuters, ots)