Berlim mostra dedo do meio para quem se recusa a usar máscara | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 14.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Berlim mostra dedo do meio para quem se recusa a usar máscara

Campanha publicitária lançada pela capital alemã mostra idosa fazendo gesto. "O dedo levantado é para todos sem máscara", diz a peça. Mas nem todos acharam engraçado.

Berlim divulgou uma provocativa campanha publicitária para estimular o uso de máscaras. A peça mostra uma idosa usando a proteção facial ao mesmo tempo que exibe o dedo médio para aqueles que não seguem as regras de combate à pandemia de covid-19.

Acima da imagem da idosa, uma frase em tom irônico: "O dedo indicador levantado é para todos sem máscara". Outra legenda diz: "Nós cumprimos as regras contra o coronavírus". O novo slogan foi lançado na terça-feira (13/10), no âmbito de uma campanha conjunta do Departamento de Economia do Senado de Berlim e da empresa de marketing turístico Visit Berlin, que promove a cidade.

O anúncio, publicado inicialmente num jornal local, logo se espalhou pelas redes sociais. Provocou elogios, mas também críticas ferozes nas redes sociais, com alguns comentaristas dizendo que a imagem era divisiva. 

"É uma imagem provocativa", disse Christian Taenzler, porta-voz da organização Visit Berlin "Queríamos chamar a atenção para este problema."

Segundo Tänzler, o anúncio segue o humor distinto de Berlim. "Os berlinenses são muito conhecidos por sua comunicação direta." De acordo com o porta-voz, a idosa da imagem, que pertence a um grupo de risco por causa da idade, está mostrando o dedo do meio porque sua saúde corre risco por causa daqueles que não seguem as regras. Nos últimos meses, Berlim foi palco de várias manifestações "anticorona", que atraíram extremistas críticos das medidas de isolamento impostas pelo governo alemão, em especial a recomendação do uso de máscaras. 

Tänzler ainda afirmou que a contradição entre a imagem - que mostra o dedo médio - e a frase - que faz referência ao dedo indicador - foi também deliberada, como forma de reforçar o humor. No entanto, ele apontou que a imagem não deve voltar a ser publicada - o que também é inócuo após ela ter se espalhado pelas redes sociais. 

Apesar do sucesso nas redes, nem todos acharam engraçado. Marcel Luthe, um membro do Senado de Berlim, disse que apresentou uma reclamação formal sobre o anúncio, dizendo que ele incita o ódio contra todos aqueles que não podem usar máscara, como crianças pequenas e pessoas com problemas de saúde. O editor-chefe de do jornal berlinense Tagesspiegel, Lorenz Maroldt, também apontou que a campanha era de mau gosto. "De alguma forma, a aplicação dos regulamentos anticorona não funcionou em Berlim. E agora o Senado está tentando insultar o público", escreveu no Twitter.

"Esta não é a maneira de promover o entendimento dentro de uma sociedade dividida pelo medo (...) Este pôster discrimina e insulta as pessoas em Berlim que não podem usar máscara por motivos de saúde", acrescentou.

JPS/ots

Leia mais