Bayer anuncia demissões, mas não diz se Brasil será afetado | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 19.11.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Bayer anuncia demissões, mas não diz se Brasil será afetado

Até 2012, empresa alemã vai cortar 4.500 postos de trabalho em todo o mundo, dos quais 1.700 na Alemanha, e contratar 2.500 novos funcionários, principalmente em países emergentes.

default

Sede da empresa em Leverkusen

A justificativa é a busca pela inovação e o crescimento, mas o método adotado pela Bayer não deixa de ser impopular. A empresa alemã anunciou nesta quinta-feira (18/11) que vai fechar cerca de 4.500 postos de trabalho em todo o mundo até 2012, dos quais 1.700 na Alemanha.

No mesmo período serão, porém, contratadas 2.500 pessoas, principalmente em países emergentes. Questionada pela Deutsche Welle, a Bayer não informou como o Brasil será afetado pelos cortes e futuros investimentos da empresa.

"Os detalhes dos planos anunciados estão sendo discutidos internamente, incluindo o impacto (criação e fechamento de postos de trabalho) em países e unidades", respondeu a assessoria de imprensa da empresa, que tem sede na cidade de Leverkusen.

No comunicado emitido pela empresa, no entanto, o presidente do conselho de administração, Marijn Dekkers, cita como exemplo a expansão das atividades nos países asiáticos.

Migração dos investimentos

Segundo os planos anunciados por Dekkers, a empresa vai investir seus recursos no crescimento e fortalecimento de sua capacidade de inovar. O foco recairá sobre pesquisa e desenvolvimento de novos produtos – especialmente nas divisões HealthCare e CropScience – e na expansão das atividades nos mercados emergentes.

Dekkers ressaltou o cenário de dificuldades imposto pelo avanço dos produtos genéricos e pelos cortes nos sistemas de saúde de países industrializados. A direção da Bayer quer economizar anualmente 800 milhões de euros, já a partir de 2013, e metade desse valor será reinvestido. Até o fim de 2012, a Bayer terá que arcar com custos de aproximadamente 1 bilhão de euros, parte deles já no fim deste ano.

Em números

A Bayer tem, em todo mundo, 108,7 mil funcionários. No Brasil, são 3.800 trabalhadores distribuídos em três áreas: saúde, agronegócios e materiais inovadores. A primeira representação da empresa alemã no Brasil foi fundada em 1896.

Em 2009, o faturamento do grupo no Brasil foi de 3,8 bilhões de reais, com crescimento de 3% em relação ao ano anterior. O principal negócio da Bayer em solo brasileiro é a divisão CropScience, que corresponde a 53% do total das vendas, seguida pela HealthCare (33%) e MaterialScience (14%).

Autora: Nádia Pontes
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais