Barragem rompe na Bahia e autoridades pedem que famílias deixem área | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 11.07.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Barragem rompe na Bahia e autoridades pedem que famílias deixem área

Segundo Defesa Civil, choveu forte na região. Águas estão afetando dois municípios e provocaram bloqueio de estrada que liga o estado ao Sergipe.

Uma barragem no município de Pedro Alexandre, próximo da divisa da Bahia com Sergipe, se rompeu no final da manha desta quinta-feira (11/07) após fortes chuvas. As águas também estão causando inundações no município vizinho de Coronel João Sá, que fica a cerca de 30 quilômetros da barragem, e provocaram o bloqueio de uma estrada. 

"A barragem do Quati estourou. É uma situação atípica. Nunca aconteceu isso com essa barragem. Nós não sabemos as consequências. Eu peço encarecidamente que todas as pessoas que moram nas áreas de risco saiam das suas casas, peguem os seus documentos pessoais, peguem seus objetos de valores, o que puderem levar", pediu o prefeito de Coronel João de Sá, Carlinhos Sobral, em um vídeo compartilhado no Facebook.

A defesa civil já iniciou a retirada de famílias das áreas mais próximas à barragem. A prefeitura estima que cerca de 120 famílias vivem às margens do rio que vem escoando a água. O município, localizado a cerca de 450 quilômetros de Salvador, disponibilizou cinco escolas para abrigar os moradores após a ruptura da barragem. Não há informações sobre possíveis mortos e feridos.

A coordenadora da Defesa Civil em Pedro Alexandre, Carla Leão, disse que algumas casas que ficam no povoado de Quati foram invadidas pela lama. "Algumas casas foram invadidas, mas não há feridos. Tem muita lama e água no caminho. Apesar disso, sabemos que os moradores não foram atingidos porque entramos em contato antes, e eles deixaram as casas antes da ruptura", disse a coordenadora ao G1. A prefeitura local decretou estado de calamidade e emergência após o rompimento.

No Twitter, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) informou que a barragem fica próxima à BR-235, que liga a Bahia ao Sergipe, e que técnicos do órgão foram enviados ao local para verificar possíveis danos à rodovia. Já a Polícia Rodoviária Federal (PRF) confirmou que a estrada está totalmente interditada após ser invadida pelas águas.

De acordo com o superintendente da Defesa Civil da Bahia, Paulo Luz, em um dia, a região foi afetada por mais de 100 mililitros de chuva. "Isso causou rompimentos de pequenas barragens, que acabaram por afetar a Barragem do Quati", disse.

De acordo com ele, o rompimento da barragem foi parcial. "A preocupação é que não venha provocar rompimento total da barragem". 

Em nota, a Agência Nacional de Águas (ANA), informou que a barragem é "de usos múltiplos de água", e que o açude e a represa estão sob responsabilidade de fiscalização do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) do Governo da Bahia. 

Em janeiro, o rompimento de uma barragem da mineradora Vale, em Brumadinho (MG) provocou 270 mortes. Na terça-feira, a Justiça Estadual de Minas Gerais condenou a Vale a reparar os prejuízos provocados pela tragédia. Na semana passada, mais dois corpos foram encontrados na região da tragédia, e 22 pessoas ainda são dadas como desaparecidas. 

JPS/ab/lusa/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
App | Instagram | Newsletter

Leia mais